"O racismo não me atinge", diz Miss Universo 2011; fotos!

"O racismo não me atinge", diz Miss Universo 2011; fotos!

Como miss Angola, já apoiava causas sociais, a luta contra o HIV e os cuidados com idosos, disse

Sorridente e recebida com aplausos, Leila Lopes falou com a imprensa após ser coroada Miss Universo 2011, na noite da segunda-feira (12), em São Paulo. Simpática, a angolana conquistou os brasileiros e ainda desbancou as favoritas ao título, levando a melhor entre outras 88 candidatas.

Minutos após o término do Miss Universo, a miss ? que não é a primeira negra africana a vencer o concurso ? retornou ao palco da casa de shows Credicard Hall para responder a perguntas de jornalistas de vários países. Já coroada, Leila aproveitou o encontro para comentar os casos de racismo pelo mundo.

? O racismo não me atinge. Os racistas deveriam procurar ajuda e se tratar. Não é possível que em pleno século 21 ainda existam pessoas que pensem desta forma.

Natural de Benguela, Leila, 25 anos, afirmou que pretende usar o "cargo" de miss para ajudar sua terra natal.

? Como miss Angola, já apoiava causas sociais, a luta contra o HIV e os cuidados com idosos. Agora, espero poder fazer muito mais por meu país.

Emocionada, Leila finalizou:

? Angola, muito obrigada pela torcida e por ter acreditado em mim.

Histórico

A primeira miss Universo negra foi Janelle Commissiong, de Trinidad e Tobago, eleita em 1977.

Curiosamente, no ano seguinte, Janelle passou a faixa para uma miss Universo africana. A beldade - uma loira - se chama Margareth Gardiner e representou a África do Sul no concurso.

A primeira africana negra a usar a coroa de Miss Universo foi Mpule Kwelagobe, vinda de Botsuana. Ela foi coroada em 1999.













Fonte: r7