Professor é acusado por assédio a aluna de 13 anos

Diante de duas recusas, ele propôs que ela faltasse aula para acompanhá-lo até sua residência

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou um professor de matemática da rede municipal de ensino por assédio sexual a uma aluna de 13 anos. Conforme denúncia da 20ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos, Fábio Ribeiro Rocha investiu quatro vezes contra a menina. Em março de 2010, ele teria chamado a estudante do 9º ano da Escola Municipal Rubens de Farias Neves, em Campo Grande, à sala dos professores e tentado convencê-la a ir até sua casa quando a esposa dele não estivesse presente.

Diante de duas recusas, ele propôs que ela faltasse aula para acompanhá-lo até sua residência, novamente sem sucesso. A estudante, traumatizada, contou sobre o assédio aos pais. No dia seguinte, após conseguir o telefone celular da menina, ele tentou convencê-la mais uma vez. O aparelho já estava sendo monitorado e a conversa foi gravada.

Professor segue lecionando

"O denunciado - um marmanjo de trinta anos de idade, à época - se valeu de sua inegável ascendência, decorrente da qualidade de professor, para intentar se aproveitar sexualmente de uma menina de 13 anos de idade, felizmente sem sucesso. A despeito da gravidade do evento, há notícia nos autos de que Fábio continua dando aula normalmente, o que, a par de consubstanciar um escárnio para com os familiares da aluna (que teve que se retirar da escola em razão do ocorrido), implica a exposição de outros alunos a severíssimo risco", disse o promotor Marcus Vinicius da Costa Moraes Leite.

O promotor pede que a Justiça determine a suspensão imediata do denunciado do exercício de suas funções de magistério e remeta cópias da denúncia às secretarias Municipal e Estadual de Educação, para a adoção das medidas cabíveis no âmbito administrativo. A pena para o crime de assédio é de um a dois anos de reclusão, com aumento de um terço quando a vítima tem menos de 18 anos. A ação penal será julgada pelo juízo da 40ª Vara Criminal da Comarca da capital fluminense.

Fonte: Terra