Rafael Cardoso celebra boa fase na Globo: "estou aproveitando"

Rafael Cardoso vive Albertinho em "Lado a Lado"

Ver seus personagens ganharem peso e consistência é o sonho de qualquer ator em início de carreira. Rafael Cardoso consegue enxergar esse crescimento profissional no destaque dado às conquistas e pequenas maldades de Albertinho, o aprendiz de vilão que ele interpreta em Lado a Lado. "O tamanho do personagem define as chances que o ator tem de mostrar serviço. Estou aproveitando o momento e me dedicando ao máximo. Novelas são carregadas pelos seus personagens principais e encaro isso com responsabilidade", analisa.


Rafael Cardoso celebra boa fase na Globo:

Na Globo desde 2008, quando estreou com um pequeno papel em Beleza Pura, Rafael se revelou na pele do bad boy Jorgito, de Ti-Ti-Ti. Mas chamou a atenção do público e de outros diretores da Globo ao mostrar o amadurecimento de Rodrigo, o jovem pai de A Vida da Gente, de 2012, a partir de uma atuação naturalista e delicada. "Foi um trabalho denso e muito emocional. Rodrigo era um cara do bem e que tinha de lidar com problemas cotidianos e familiares sem parecer clichê. Tenho muito orgulho desse personagem", valoriza.

Se sair bem no papel de galã poderia render a Rafael o convite para voltar a viver o sujeito boa praça e disputado por duas mulheres, tipo tão recorrente em qualquer folhetim. No entanto, para surpresa e satisfação do ator, o que surgiu foi um playboy de época, filho de aristocratas do Império, que, influenciado pela mãe, Constância, de Patrícia Pillar, não mede esforços para beneficiar seus interesses. "Albertinho não chega a ser totalmente do mal, mas é, muitas vezes, sem escrúpulos. Acaba escorregando em suas próprias maldades e isso o humaniza", teoriza. Essa caráter nada maniqueísta de Albertinho instigou ainda mais o ator que, mesmo com o folhetim a pouco mais de dois meses do fim, ainda surpreende-se com a trajetória do "bon vivant". "É engraçado o poder da novela de se desenvolver e tomar rumos desconhecidos", analisa Rafael, entusiasmado com a nova descoberta de seu personagem: um filho.

Para o ator, Albertinho funciona como uma espécie de retrato coerente de um jovem aristocrata do início do século XX, época em que a trama assinada por Claudia Lages e João Ximenes Braga é ambientada. "Albertinho tem um lado machista bem comum para a época, o que evidencia esse jeito conquistador e garanhão dele. Ao mesmo tempo, é um tipo extremamente frágil e manipulável", destaca. Além de pesquisas e inspirações, como os filmes Don Juan DeMarco, de Jeremy Leven, e Ligações Perigosas, de Stephen Frears, boa parte do processo de construção do personagem foi formatado nos dez dias em que Rafael passou gravando, ao lado de parte do elenco de Lado a Lado, no centro histórico de São Luis, capital do Maranhão, que com suas construções evocavam o Rio de Janeiro da época. Além disso, o ator entrega que os cenários e figurinos da novela são essenciais para mergulhar nas cenas de Albertinho. "É meu primeiro trabalho de época na tevê, fiquei impressionado com a atenção aos mínimos detalhes", admite.

Mesmo focado em sua carreira televisiva, Rafael mantém intensa sua dedicação ao cinema. Os novos frutos desse envolvimento com a sétima arte poderão ser vistos ao longo de 2013, com a estreia de Senhores da Guerra, dirigido por Tabajara Ruas, e O Tempo e O Vento, de Jayme Monjardim. O ponto em comum entre os longas é o forte laço de ambas as histórias com o Rio Grande do Sul, terra natal do ator de 27 anos. O primeiro conta a história da Revolução de 1923, enquanto o filme dirigido por Monjardim é baseado na obra do escritor gaúcho Érico Veríssimo. "É uma honra contar histórias da minha região através do cinema. Estou ansioso por esses lançamentos", conta.

Na zona do agrião

Durante a preparação para Lado a Lado, um dos elementos que mais aproximaram Rafael Cardoso de seu personagem foi o envolvimento dele com os primórdios do futebol no Brasil. Tudo porque, além de gremista roxo, Rafael já jogou nas categorias de base de times locais, como Internacional, Aymoré, Mont Serrat e o próprio Grêmio. "Modéstia à parte, eu até jogo bem futebol. Então, meu trabalho para as cenas foi tentar jogar mal. Afinal, a novela retrata os primeiros jogos do esporte no país", explica.

Nem mesmo os uniformes de época tiram o bom humor e o clima descontraído das cenas onde Rafael divide o campo com Caio Blat, Daniel Dalcin e Klebber Toledo, os outros "boleiros" da atual novela das seis. "A gente se diverte gravando, pois todos somos muito ligados em futebol. Nem mesmo o calor do Rio de Janeiro atrapalha", garante.

Instantâneas

# Antes de fazer novelas na Globo, a primeira experiência de Rafael Cardoso com a televisão foi na série Pé na Porta, produzida e exibida pela RBS, emissora regional do Sul do Brasil.

# Em setembro do ano passado, ao ser diagnosticado com catapora, o ator teve de se ausentar das gravações de Lado a Lado por 10 dias.

# Em 2009, no polêmico filme Do Começo Ao Fim, de Aluizio Abranches, Rafael interpretou o jovem Thomás que, ao longo da história, descobre-se apaixonado pelo meio-irmão Francisco, vivido por João Gabriel Vasconcelos.

# No ano passado, Rafael mostrou sua porção diretor, ao comandar a gravação do clipe musical de Vida, música da banda de "reggae" brasiliense Mente Sã.

Fonte: Terra, www.terra.com.br