Pattinson volta aos holofotes em entrevista ao "The Daily Show"

Compromissos com o trabalho forçam as celebridades a ter de aparecer depois de enfrentar graves problemas.

Depois de ficar afastado dos holofotes por conta da traição de Kristen Stewart com o diretor Rupert Sanders, o ator Robert Pattinson decidiu voltar à mídia: ele vai participar do programa norte-americano "The Daily Show", com Jon Stewart, nessa segunda-feira (13). Ele irá à atração falar de seu novo filme, "Cosmópolis", de David Cronenberg.

Compromissos com o trabalho muitas vezes forçam as celebridades a ter de aparecer depois de enfrentar graves problemas pessoais. Escolher como e onde elas irão aparecer é, muitas vezes, um movimento muito bem calculado.

"Não há uma resposta que valha para todo mundo", explica o assessor de imprensa veterano Howard Bragman. "A resposta certa é aquela com que você conseguirá obter mais respeito, que será mais justa e onde você será melhor apresentado. Geralmente, ocorre onde você teve uma melhor experiência no passado".

O ator Fred Willard, que havia sido preso por conduta inapropriada, também optou por voltar a falar com o grande público em um programa humorístico, o "Late Night", de Jimmy Fallon, onde brincou sobre o fato. Outros preferem aparecer no programa de Oprah Winfrey ou, ainda, no "Good Morning America".

Há, ainda, famosos que preferem se esconder durante as crises. Sylvester Stallone não foi a eventos promocionais de "Os Mercenários 2" logo depois da morte de seu filho, Sage, no mês passado. Demi Moore também evitou falar de sua participação como diretora do filme para a TV "Five", depois que a traição de Ashton Kutcher se tornou pública.

John Travolta não dá entrevistas desde que foi acusado de assédio sexual por um massagista. No entanto, ele compareceu à estreia de seu novo filme "Selvagens", em julho, e beijou publicamente sua mulher, Kelly Preston.

Para Bragman, todo ator tem o direito de falar somente sobre o que deseja em relação à sua vida pessoal, mas ponderou: "Temos que lidar com essas questões com dignidade, classe e respeito pelos jornalistas que estão fazendo seu trabalho". E emendou: "Não espere que Robert abra seu coração no ""Daily Show" ou no "Good Morning America"".

Fonte: UOL