Semana Douglas Machado no Clube de Vídeo

O Clube de Vídeo de Teresina funciona na Casa da Cultura

Diretor, produtor e roteirista do primeiro longa-metragem piauiense, Douglas Machado foi o primeiro cineasta teresinense cuja produção obteve repercussão internacional. E nesta semana, os amantes do cinema poderão conferir gratuitamente parte dos seus trabalhos no Clube de Vídeo de Teresina, que exibe algumas das suas obras na Sala de Vídeo da Casa da Cultura a partir das 18h30. A entrada é franca.

O Clube de Vídeo de Teresina funciona na Casa da Cultura e é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Todos os meses, o clube traz uma vasta programação de filmes para todos os gostos, com clássicos da telona e outros do circuito alternativo de cinema. As exibições são às 18h30, de terça-feira à sexta-feira.

Uma das suas obras mais conhecidas, com filmagens iniciadas no ano de 1997, a montagem de ?Cipriano? foi possível graças à Trinca Filmes e à Lei de Incentivo á Cultura A. Tito Filho, da Prefeitura Municipal de Teresina. O filme obteve pós-produção e digitalização na Inglaterra e na Suécia, com edição em AVID (programa de edição de vídeo inexistente no Piauí à época) em Estocolmo. Ele será exibido na quinta-feira.

Confira a programação do Clube de Vídeo:

SEMANA DOUGLAS MACHADO

03/08(TER) ? H. DOBAL-UM HOMEM PARTICULAR ? Doc. 70min. Piauiense ? Direção - Douglas Machado ? Sinopse ? Documentário sobre o poeta Hidemburgo Dobal ? H. Dobal. Apresenta suas memórias da cidade de Teresina nas décadas de 1930-1940, sua fortuna crítica e a descentralização da cultura no Brasil ? sobre tudo a dificuldade de um maior diálogo da produção literária realizada fora do eixo Rio-São Paulo.

04/08(QUA) ? O SERTÃO MUNDO DE SUASSUNA ? Doc. 80 min. Piauiense ? Direção ? Douglas Machado - Sinopse - O decifrador de brasilidades como já foi chamado, é um dos principais preservadores da cultura do país,alia os valores mais arraigados de sua região a seu imenso arcabouço erudito e teórico. Com uma escrita que junta, a um só tempo, elementos do simbolismo, do barroco e da literatura de cordel,esse ficcionista,poeta,dramaturgo e pensador da cultura,transforma o sertão no palco das questões humanas de qualquer lugar do mundo.

05/08(QUI) ? O CIPRIANO ? Doc. Piauiense - Direção ? Douglas Machado ? Sinopse - Com uma linguagem muito próxima do Barroco ? se tomarmos o Barroco como uma constante artística trans-histórica ? Cipriano é estruturado em cinco sonhos: demônios, morte, procissão, cemitério, morada das almas. Essa estrutura Douglas fora buscar no Kurosawa de Sonhos, mas não se deve exagerar na influência: os sonhos de Akira sintetizam uma mensagem ecológico-humanista, os de Douglas enveredam pelo universo místico-religioso do nordestino; o demônio de Douglas é o coisa-ruim do nosso imaginário popular, o de Kurosawa é o próprio homem, que se ?endemoniou? pela sede de poder que o levou a profanar a natureza. O filme do piauiense, numa visada geral, é uma alegoria acerca do imaginário popular nordestino, captando, de forma poética, a cultura religiosa sertaneja, a morte e os sonhos inerentes à vida humana. O sertão de Cipriano é repleto de poesia; não é o sertão que se filma para criticar as problemáticas sociais. É mais o sertão de Rosa que o sertão de Graciliano. Nesse sentido, os componentes da linguagem cinematográfica buscam atingir uma expressão artística centrada na poesia, pensada em toda a sua amplitude.

06/08(SEX) - LUIZ ANTONIO ASSIS BRASIL-O CÓDICE E O CINZEL ?? Doc. 143 min. Piauiense - Direção ? Douglas Machado ? Sinopse - O foco narrador deste documentário é um olhar estrangeiro sobre o Pampa. O diretor, Douglas Machado, dessa forma, faz um paralelo com a literatura produzida pelo escritor gaúcho Luiz Antonio de Assis Brasil, a qual desenvolve esse mesmo olhar.

Além do universo literário do autor, O CÓDICE E O CINZEL apresenta uma reflexão acerca de vários temas que circundam seu universo existencial e estético, como por exemplo, a Oficina de Criação Literária na PUCRS, o Pampa, Porto Alegre, Mozart e sua ascendência açoriana. Gravado no Brasil, Portugal (Lisboa e Ilha de São Miguel, nos Açores) e Espanha (Madrid).

Fonte: Liliane Pedrosa, Jornal Meio Norte