Sempre ousada! Valesca Popozuda ganha beijo no bumbum

Sempre ousada! Valesca Popozuda ganha beijo no bumbum

A funqueira esteve em uma boate de São Paulo para ser coroada madrinha da Parada Gay.

Valesca Popozuda escolheu um look transparente e decotado para o show na boate Bubu, no bairro de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na madrugada deste domingo, 10, no qual foi coroada madrinha da Parada Gay da capital paulista.

A parada acontece neste domingo. Sempre simpática, Valesca deixou um fã dar um beijinho em seu bumbum no camarim.

"É uma emoção muito grande (ser madrinha da Parada Gay de São Paulo)! Já sou madrinha da parada gay de Madureira (RJ) há quatro anos. É a maior parada gay do mundo e eu nunca fui. Estrear como madrinha é uma honra."

Nos bastidores do show, a funqueira falou sobre sua nova música "Sou Gay", dedicada ao público homossexual. "No fim do ano, vou gravar um DVD pra o público GLBT e essa música com o David Brazil vai entrar, mas teremos outras."

A cantora, que é mãe de um menino pré-adolescente, também falou que encararia numa boa caso o filho se tornasse homossexual. "Iria dar total apoio. Luto pelo o que acredito. Luto contra a homofobia e o que eles (os homossexuais) precisarem, a Valesca esta aqui!"

Valesca também falou sobre a seleção que está fazendo para escolher uma dançarina transexual para o grupo que a acompanha, a Gaiola das Popozudas. "Foi uma loucura, recebemos mais de três mil emails. A princípio era só para uma participação, mas agora a escolhida vai ser contratada para ficar com a gente. O Gaiola vai ter uma dançarina transexual."

Tumulto

Uma onda de furtos na casa noturna, no entanto, não colaborou para o que deveria ser uma noite "paz e amor". Segundo o soldado da Polícia Militar Leandro da Silva, mais de 15 pessoas tiveram celulares e dinheiro furtados enquanto curtiam a apresentação de Popozuda.

"Estava saindo do show da Valesca quando começou a tumultuar, senti alguém pegando na minha bolsa e já estava aberta quando olhei", Débora Ronda, administradora, teve o iPhone roubado.

O estudante Bruno Evaristo foi outra vítima da noite. "Levaram meu RG, o cartão de débito e o celular do mesmo bolso. Vi um rapaz gritando que estava sendo roubado, quando coloquei a mão no bolso, já tinha sido roubado também. Sou de Maceió, tenho sete reais para ficar em São Paulo."

Ainda de acordo com a Polícia Militar, outras casas noturnas de Pinheiros sofreram ataques do mesmo gênero neste sábado.

Fonte: Ego, www.ego.com.br