Confira sete atitudes da nora prejudiciais à relação com a sogra; culpa é delas?

Confira sete atitudes da nora prejudiciais à relação com a sogra; culpa é delas?

Sete atitudes da nora prejudiciais à relação com a sogra, será que a culpa é delas?

Sete atitudes da nora prejudiciais à relação com a sogra

Toda nora pode ser sogra um dia. Reflita!

As noras culpam as sogras pelo relacionamento conturbado, como se fossem bruxas ou megeras, mas será que a culpa é toda delas? Na maioria das relações problemáticas a "culpa" é de ambas as partes. Desde sempre a relação sogra/nora não tem sido fácil. Com os genros existem certas brigas e dificuldades, mas são facilmente contornadas. Já com as noras a dificuldade é maior, é outra mulher tomando o seu lugar e isso não é permitido. "O maior problema entre minha nora e eu não é o ódio, mas sim o amor pela mesma pessoa", relata Maria Carolina da Silva (nome fictício), 53 anos, sogra há 8 anos.

Para discutir melhor sobre este assunto conversamos com Carlos Esteves, psicólogo e especialista em análise do comportamento, e Janaina Depiné, consultora de etiqueta e imagem. Veja os sete pecados que as noras cometem em relação às sogras:

A nora tenta afastar o marido e os filhos do convívio da sogra

Este é um dos maiores problemas neste relacionamento nora/sogra. Para o psicólogo Carlos Esteves, esse distanciamento que as noras provocam podem causar o sentimento de perda do afeto e da atenção do filho, gerar ciúmes e até mesmo ódio. "As sogras notam que muitas vezes o genro ou nora tentam eliminá-la da vida do novo casal. Não permitem que ela opine sobre nada, tentam isolá-la da vida do neto, não a convidam para os programas familiares, não querem saber o que ela pensa... Enfim, ela sente que literalmente perdeu o filho ou filha", afirma Janaina Depiné.

Não dar ouvidos à opinião da sogra

As pessoas mais velhas carregam uma "bagagem" maior de experiências e vivências, sendo assim a opinião é válida. Ela tem seus méritos, afinal soube criar muito bem o filho dela que você escolheu para ser seu marido. Segundo Janaina Depiné, é preciso escutar e palpitar menos. "Afinal, é uma característica feminina muitas vezes querer somente desabafar e não ouvir conselhos. Portanto, seja uma boa ouvinte e só dê sua opinião se for solicitado".

Manipular o marido fazendo um joguinho infantil: "ou eu ou sua mãe"

Deixe de lado o comportamento infantil.

Neste caso podemos constatar que a "megera" não é a sogra. Essa competição entre as mulheres, neste caso se torna algo prejudicial para ambas as partes. A nora esquece que a mãe jamais vai deixar de ser mãe, já a mulher... Não é uma ameaça, mas sim uma verdade incontestável. Para Carlos Esteves "o grande desafio na interação entre sogra e nora é compreender como seria possível se desenvolver uma relação conjugal (esposa e marido) a partir de uma relação parental (mãe e filho)". Trocando em miúdos, um bom filho será um bom marido.

Faltar de respeito com a sogra

A sogra, assim como qualquer outra pessoa deve ser respeitada. As noras devem se conscientizar que esta mulher é a genitora do amor da sua vida e cada agressão sofrida por ela vai afetá-lo, pois mãe é mãe. "É preciso medir as palavras, especialmente nos momentos de conflito. Jamais diga algo como: "Quem manda aqui sou eu", "A casa é minha eu falo como quiser", "Você está errada", entre outras", diz a consultora Jaqueline. Segundo Carlos Esteves "quando me sinto ameaçado irei me comportar para me defender, pode ser evitando ou enfrentando, mas certamente será uma guerra".

Ela não está cuidando do meu filho e dos meus netos direito

Quando a opinião é da sogra parece que não é válida. As noras aceitam interferências da própria mãe, mas não aceitam as de suas sogras, nem mesmo quando essa interferência vai beneficiá-las. "Este ponto retrata a certeza da mãe sobre aquilo que seria melhor para seu filho, e incompreensão da nora a respeito. Essa certeza foi construída ao longo de anos de relação mãe e filho, a partir do entendimento que seus anos de convivência produziram um conhecimento profundo daquilo que lhe faz bem ou mal", comenta o psicólogo Carlos Esteves.

Tratar a sogra como uma inimiga

Um grande problema para Carlos Esteves é a falta de boa vontade da nora em relação à sogra "se a nora cria justificativas para evitar os encontros com a sogra, de maneira sistemática e intensa, pode provocar um sentimento de perda tanto na sogra quanto no marido. Afinal, há uma relação parental, mãe e filho, em jogo", comenta o psicólogo. Muitas noras colocam a sogra de escanteio e não se ligam que elas podem ser grandes aliadas. "Procure saber com ela as preferências dele, histórias de infância, o prato favorito. Ela se sentirá valorizada e perceberá o seu cuidado com o filho dela", comenta Janaina Depiné.

A nora só vê os defeitos da sogra

Todo mundo possui qualidades. Evitar entrar num relacionamento com o "pé atrás" com a sogra é essencial. "Minha nora vê apenas meus defeitos e vive jogando isso na minha cara. É só termos alguma discussão ela traz meus defeitos à tona", afirma Maria. "É preciso também ter um olhar mais positivo sobre a sogra. Qualquer ser humano tem ao menos uma qualidade. Portanto, agarre-se a esse ponto positivo que você perceber na sua sogra e valorize-a por isso" afirma Janaina Depiné. O ideal seria sogra e nora serem cúmplices e viverem em harmonia "Os espaços serão ocupados na medida em que as relações se desenvolvem e, neste momento, o desconhecimento ou mesmo a falta de proximidade entre a sogra e a nora faz toda a diferença", afirma Carlos Esteves.

"Toda sogra já foi nora e toda nora poderá ser sogra", conclui Maria.

Fonte: UOL