Silveirinha encontra Donatela no apartamento de Zé Bob

Ele toca a campainha e ela acha que o namorado lhe mandou flores

Silveirinha (Ary Fontoura) tem o primeiro encontro com Donatela (Claudia Raia) no apartamento de Zé Bob (Carmo Dalla Vechia) em A Favorita, no próximo dia 2. Ele toca a campainha e ela acha que o namorado lhe mandou flores. Quando abre a porta, dá de cara com o mordomo. Tenta não deixá-lo entrar, mas não consegue.

Silveirinha: Surpresa? Não esperava abrir essa porta pra mim, não é? Mas é incrível, você está mesmo viva!

Donatela: O que veio fazer aqui? Como você soube?

Silveirinha: Você, como sempre, se considerando muito esperta. Quando mandou Halley me procurar, já sabia que tinha alguém por trás daquele texto. Ou você achava que eu ia acreditar que um garoto inexperiente ia me dizer aquilo tudo espontaneamente? Você fez a cabeça do Halley.

Donatela: É, o Halley, meu filho, que você tomou dos meus braços. Fez isso a mando da Flora?

Silveirinha: Não. O que me fez ficar ao lado dela foram os seus maus-tratos.

Donatela: E por acaso ela está te tratando melhor agora?

Silveirinha: Não é da sua conta.

Donatela: Sei que ela tá te tratando como cachorro, que tá te botando pra lavar o chão. Você apostou no cavalo errado.

Silveirinha: Vou contar tudo pra Flora, que você tá viva e ela vai te botar na cadeia.

Donatela: E por que não contou? Podia ter vindo aqui com a polícia. Aí eu não ia ter como fugir. Mas você preferiu vir sozinho, sabe por quê? Porque tá em dúvida.

Silveirinha: Não tô em dúvida coisa nenhuma.

Donatela: A vida está te dando a última chance pra salvar a sua alma

Silveirinha: Que alma? Não tenho mais alma, não tenho mais nada. Você e aquela outra me tiraram tudo.

Donatela: Eu te ajudei, te tirei da sarjeta, te dei emprego, acolhi na minha casa e o que ela fez por você? Só te usou e vai te usar mais, até não ter mais serventia e te jogar feito carniça pros urubus. É isso que você quer?

Silveirinha: A culpa de tudo que aconteceu é sua, porque você desfez aquela dupla justo no momento que estava no auge. Foi você que acabou com a minha vida.

Donatela: Pelo amor de Deus, como pode guardar esse ressentimento tantos anos? Já te falei mil vezes, não queria aquela vida. Queria casar, ter família, filhos.

Silveirinha: Você acabou com meu sonho pra ter uma vida de dondoca.

Donatela: E qual era seu sonho? Ser empresário de uma dupla famosa? Para isso você ia precisar de duas pessoas que quisessem cantar e eu não queria mais. Não tenho culpa. Pelo contrário, você nunca gostou de mim, sempre preferiu a Flora.

Silveirinha: Mentirosa.

Donatela: Mentira coisa nenhuma. Até na hora de dividir o cachê, você dava mais pra ela. Só que vocês precisavam de mim, porque ela sozinha não conseguia cantar.

Silveirinha: Mal agradecida. Te fiz um favor. Te dei emprego, te tirei lá do cafundó. Sem mim o que teria sido de você?

Donatela: Você não se envergonha de ser assim?

Silveirinha: Você e Flora me fizeram assim.

Donatela: Sua mãe, Angelina, ela gostava de mim. Às vezes lembro, era uma pessoa boa e penso como você pode ser assim, sendo filho dela. Não é possível que não tenha vestígio de humanidade.

Silveirinha: Pois não tenho. Minha vida foi feia, dura, inútil e é o que desejo pra você. Que sinta na pele o que senti. Que viva o mesmo inferno. Se sou esse monte de lixo, a culpa é sua. Portanto, não conte com a minha ajuda.

Zé Bob chega e tenta segurar Silveirinha, pois acha que o mordomo contará tudo a Flora. Mas Donatela diz que não. E lembra que ele cantava uma cantiga de ninar, quando excursionavam de ônibus e lhe fazia cafuné, por isso, acha que tem algo de bom dentro dele. Silveirinha diz que não tem mais e sai.

Fonte: Terra, www.terra.com.br