"Sinto ser a sogra mais cobiçada do momento", diz mãe de Cauã

"Sinto ser a sogra mais cobiçada do momento", diz mãe de Cauã

A carioca de 51 anos conta que sempre foi tranquila em relação às namoradas do ator e que não interfere nos romances do filho.

Mãe de um dos galãs mais desejados do momento, Denise Reymond é discreta em relação ao filho famoso, Cauã, no ar em "O Caçador" ? série que ela confessa que só "dá uma olhadinha", já que não consegue vê-lo sofrendo em cena. A carioca de 51 anos conta que sempre foi tranquila em relação às namoradas do ator e que não interfere nos romances do filho.

"Sinto ser a sogra mais cobiçada do momento. Sempre falei para elas [namoradas], "enquanto o olho do meu filho estiver brilhando, eu estou cantarolando". Quando vejo que ele não está bem, tento conversar. Mas quando tem algo que não é da minha alçada, não me meto. Não visito se não for convidada, fico na minha, não gosto de invadir o espaço", explica ela, que diz que mantém uma relação "normal" com a ex-nora Grazi Massafera.

Moradora de Nova Friburgo, região serrana do Rio, Denise engravidou de Cauã aos 17 anos, quando morava na Gávea, zona sul do Rio. Em conversa com o UOL, ela contou que o primeiro encontro com o pai do ator, José Marques, foi um amor "tipicamente carioca", já que eles se conheceram na praia do Leblon.

"Eu e o pai dele viajamos para a Ilha do Mel e, na volta, engravidei. A pílula me dava alergia, daí ele nasceu de tabelinha. A gente tinha um namoro legal, mas quando engravidei tudo mudou. É fralda, peito, leite, muita coisa", conta ela, que ficou com o pai de Cauã até o filho completar 2 anos.

Da infância de Cauã, Denise lembra que passou vários sustos, já que o menino, levado, vivia se machucando e tinha amigdalites frequentes. Entre idas e vindas para o hospital, ela contava com o apoio dos avós paternos do filho, Seu Carlos e Dona Elza, de quem fala com muita gratidão. "Ele teve uma infância muito feliz, andava de skate, bicicleta, mas cada mês era um corte diferente, tinha que levar ponto, era reza todo dia. O menino era levado mesmo".

Aos 8 anos, Cauã ganhou o irmão, Pável, apenas por parte de mãe, atualmente com 26 anos. A mãe orgulha-se do amor que o filho famoso tem pelo caçula, formado em Veterinária. "Ele tem uma relação muito bonita pelo irmão, o carinho é lindo", se derrete.

Ex-vendedora da extinta loja Company, Denise resolveu deixar o apartamento do Rio, por conta do custo alto de vida na cidade e mudou-se para Nova Friburgo.

"Vim para cá em 1993 porque a vida no Rio já estava cara demais e meu emprego na Company não supria mais as despesas condominiais. O Cauã morou aqui até 1995 e depois ficou mais dois anos no Sul com o pai".

Aos 17 anos, quando já modelava, Cauã recebeu o convite de Sérgio Mattos, da agência Elite, para viajar para Paris e trabalhar como modelo. Mesmo com o coração apertado e contrariando o pai dele, Denise resolveu autorizar a viagem do filho para o exterior.

"Quero meus filhos felizes, isso é o que importa. Fui me acostumando cedo, já imaginou se eu não assinasse liberando a viagem? Ah, chorei tanto quando vi o avião subindo com meu rapazinho rumo a Paris aos 17 anos, mas veja aonde ele chegou. Posse não é amor, quero ver os olhinhos dos meus filhos sempre brilhando. E não foi fácil não, mas valeu. Aliás, está valendo. Os dois estão bem encaminhados", descreve a mãe.

Após uma temporada fora, Cauã voltou ao Brasil com 20 anos, passou o ano novo com Denise e pediu um conselho à mãe.

"Ele passou para o curso Psicologia para a UFF [Universidade Federal Fluminense] e para a PUC e perguntou se ele tentava a carreira de ator ou se dedicava à faculdade. Aí eu disse: "Acho que você tem que tentar a carreira artística, você pode ser psicólogo com 50 anos". Então ele voltou para Nova York, fez curso com a Susan Batson, a mesma professora de teatro de Nicole Kidman e Tom Cruise".

Quando voltou de viagem, Cauã fez teste para "Malhação", foi aprovado e estreou com o personagem Maumau. "O dinheiro que ele recebeu de desfiles, foi investindo na própria carreira. Ele é um menino esforçado", orgulha-se a mãe, que no início da carreira do filho guardava todas as revistas e jornais que com ele.

Nos mais recentes papéis do filho na TV, nas minisséries "Amores Roubados" e "O Caçador", Denise diz que só dá uma olhadinha e evita as cenas mais pesadas. " Em "Amores Roubados," quando começou a cena com o tiro no pé, fui lavar louça, sei que é um personagem, mas é complicado para mim. Aquela pessoa que você sabe que é seu filho sofrendo, é difícil. Quando sei que vai sair um tiro, eu faço outra coisa e fico só escutando", revela.

Fonte: UOL