Susan Boyle encara nove na final de programa na Inglaterra

Susan Boyle, a escocesa de cabelo rebelde, não se parece em nada com uma estrela

Susan Boyle, a escocesa de cabelo rebelde, não se parece em nada com uma estrela. É gordinha, de aparência melancólica e não tem o sorriso típico das celebridades. Mas sua voz de ouro a tornou uma das favoritas na final do ?Britain"s Got Talent?, que vai ao ar neste sábado (30).

O reality show musical espera atrair milhões de telespectadores na Inglaterra, onde é transmitido ao vivo, e outros milhares pelo mundo, com a ajuda do YouTube e outros sites. O vídeo da primeira apresentação da caloura no programa já ultrapassou a marca dos 60 milhões de acessos.

Se vencer os outros nove competidores, a cantora vinda de um vilarejo na Escócia pode embolsar o prêmio de US$ 159 mil, além de um convite para cantar no tradicional evento Royal Variety Show, com a presença da Rainha Elizabeth II.

Com um fã-clube de famosos, que inclui a atriz Demi Moore e a cantora Cyndi Lauper, Boyle ofuscou todos os outros candidatos. Mesmo assim, ela ainda precisa se destacar mais no sábado (30) e torcer para que nenhum outro competidor surpreenda a tão inconstante audiência britânica.

?Acho que com a grande simpatia que tem do público, ela pode vencer a competição?, analisa Will Warnock, diretor executivo da Agency Group que representa alguns músicos de sucesso. ?Ela poderá fazer um álbum de sucesso, seguido de uma turnê mundial de sucesso porque as pessoas estão curiosas para vê-la?.

Warnock alerta, porém, que a fama pode ser passageira. ?Seria muito mais desafiador para Boyle fazer um show inteiro do que cantar por três minutos num programa de TV?.

Mesmo se falhar na final do ?Britain"s Got Talent?, a carreira da caloura parece certa. A cantora já recebeu proposta pra assinar um contrato com uma gravadora, e o seu grande reconhecimento já lhe abriu portas. No entanto, uma performance menos brilhante no sábado (30) pode levá-la ao status de ?quase famosa?, numa cultura de celebridades fugazes que cria e destrói grandes estrelas em alta velocidade.

O sucesso ainda não trouxe nenhum retorno financeiro para Boyle. ?Pelo que podemos perceber, não acho que ela teve retorno financeiro algum, o que é uma vergonha?, explica Matt Fiorentino, porta-voz da Visible Measures, uma empresa de Massachusetts que acompanha os sucessos do YouTube.

?Nós contamos centenas de milhares de comentários sobre ela, e o público está ávido por um álbum. As pessoas realmente se apaixonaram por ela?, diz Fiorentino.

Segundo ele, a primeira performance de Boyle - quando ela surpreendeu os céticos jurados e a plateia com sua voz de anjo - foi perfeita para o YouTube. Se tornou o quinto vídeo mais visto de todos os tempos.

?Ela tem a história perfeita para este tipo de mídia?, avalia Fiorentino. ?As pessoas a julgaram pela aparência, e aí ela revelou essa voz fantástica e se tornou um sucesso. Mesmo com todas as coisas ruins que estão acontecendo, todos sempre procuram um final feliz?.

Concorrentes

Outro forte finalista que já conquistou vários fãs no YouTube é Shaheen Jafagholi, de 12 anos, um cantor nato de soul. Alguns críticos dizem que o garoto, com a sua suavidade e seu charme juvenil, é muito melhor que Boyle, com quem vem competindo desde o início.

O outro concorrente que também está na final é Shaun Smith, de 17 anos, que canta desde os 4 anos, quando fazia imitações do Elvis para a família.

Duas companhias de dança de rua, Diversity e Flawles, também estão na final, e terão um forte apoio do público mais jovem.

Menos favoritos são o pai e filho comediantes e dançarinos, os Stavros Flately, que surpreendeu ao chegar à final onde fizeram o número ?Zorba, o grego? enquanto vestiam apenas saias brancas e nenhuma camisa.

A competição se tornou o único assunto em Blackburn, o pequeno vilarejo escocês onde Susan Boyle era uma cantora comum nas noites de karaokê do pub local.

?Estamos todos torcendo por ela?, conta o gerente do pub Jackie Russel. "O melhor ainda está por vir?, aposta.

Telões foram instalados no vilarejoe haverá uma festa no centro comunitário onde Susan era voluntária.

?Toda vila está ansiosa?, garante a moradora June Mackay. ?Claro que ela vai ganhar e isso vai mudar sua vida. Acredito que Susan não vai mudar daqui, ela vai continuar em BlackBurn. Aqui é o seu lar?.

Fonte: g1, www.g1.com.br