“O talento é mais importante do que a bunda”, diz Susana Vieira

A partir do dia 3, Susana volta aos palcos numa nova montagem de A Partilha, no Rio de Janeiro


Susana Vieira diz:

Uma das mais populares atrizes de sua geração, Susana Vieira virou também uma das maiores personalidades do meio artístico. Suas declarações e seu jeito expansivo e muitas vezes polêmico são acompanhados passo a passo por paparazzi e pelas revistas de celebridades. A partir do dia 3, Susana volta aos palcos numa nova montagem de A Partilha, no Rio de Janeiro. O espetáculo, escrito e dirigido por Miguel Falabella, completa maioridade e, 21 anos depois da primeira montagem, é encenado com praticamente todo o elenco original. Apenas Natália do Vale não participa do dream team que conta com Arlete Salles, Thereza Piffer e Patricya Travassos.

Muita gente acredita que você é polêmica. Como vê a questão?

Não faço nada de propósito e com a finalidade de chamar atenção de ninguém. Não vejo como polêmica, mas como sinceridade. Se a minha sinceridade incomoda tanto a ponto de as pessoas criarem polêmica com isso, eu não acho nada.

Com tanta gente nova no mercado, o que faz para se manter no topo?

Na dramaturgia sempre haverá papéis para bebês, crianças, jovens, adultos, mães, avós e bisavós. Não faz diferença se tem muita gente nova ou velha, valem o talento e a vocação.

Muitos colegas seus viram caricaturas de si mesmo, viram pessoas tão fortes que seus personagens ficam em segundo plano. Você se preocupa com isso?

A fusão entre atriz e personagem tem que ser por inteiro, de corpo e alma. Eu me dou por completa para a personagem. Eu não tenho frases, não tenho timbre de voz, não tenho biótipo, não tenho estilo para me vestir. Estou ali disponível para o papel, zerada para o que autor escrever, o que o figurino caracterizar e o diretor dirigir.

Sua vida amorosa sempre chamou muita atenção. Está mais tranquila?

Completamente. Eu e o Sandro (Pedroso, ator) vivemos mesmo um amor maduro e sem sobressaltos. Ele me deixou mais tranquila e serena.

A peça narra o conflito de quatro irmãs pela partilha dos bens da família. Já teve problemas dessa natureza?

Amo muito todos os meus irmãos e, talvez, por morarmos longe uns dos outros, quando nos encontramos não dá tempo de brigarmos. Quando fiz a primeira montagem dessa peça, me marcou muito a percepção desse sentimento entre as irmãs. É um amor muito forte. Claro que, como em qualquer família brasileira, um conflito ou outro faz parte, mas o amor é o que prevalece.

O que mudou na fama no Brasil nos últimos 20 anos?

As pessoas estão menos exigentes. Hoje em dia é muito fácil ser famoso no país. Sou de uma geração em que o talento era mais importante do que a bunda.

Fonte: Época