“Quero me casar na igreja", diz o cantor Thiaguinho sobre F. Souza

Há oito anos à frente do grupo de pagode Exaltasamba, fazendo em média 30 shows por mês, Thiaguinho, 28 anos, prepara-se para seguir carreira solo


Thiaguinho Barbosa: ?Até pensei em ser padre?

Há oito anos à frente do grupo de pagode Exaltasamba, fazendo em média 30 shows por mês, Thiaguinho Barbosa, 28 anos, prepara-se para seguir carreira solo a partir de março de 2012. ?Seria hipocrisia dizer que não queria ter um trabalho sozinho?, diz, sobre a decisão que tomou no início do ano. O menino de Presidente Prudente, interior de São Paulo, começou a cantar com 12 anos e, aos 18, foi um dos finalistas do programa Fama da TV Globo. "O Fama me abriu as portas. Não foi um empurrãozinho, foi um chute nas costas", brinca, ao lembrar do início da carreira. Há sete meses namorando a atriz Fernanda Souza ? eles se conheceram no Carnaval de Salvador, na Bahia ?, Thiaguinho faz planos para o futuro: ?Quero me casar na igreja como manda o figurino?. A seguir, o cantor responde às perguntas enviadas pelos leitores ao site de QUEM.

1 - Que importância o Fama teve em sua trajetória?

Janette Clair, São Gonçalo (RJ)

O Fama me abriu as portas. Não foi um empurrãozinho, foi um chute nas costas. Foi o que realizou meu sonho de poder viver de música, até porque eu morava no interior de São Paulo e era muito difícil chegar até São Paulo e Rio de Janeiro.

2 - O sucesso depois do Fama foi instantâneo?

Sara Ellen, Campinas (SP)

Não. Foram os seis meses mais longos da minha vida (até entrar para o Exaltasamba). Gravei a música Estrela, coloquei embaixo do braço e fui tomando ?não?. Sofri muito nessa época. Morei de favor em casa de pessoas que nunca vi na vida, depois tentei tocar em alguns lugares, mas era em vão.

3 - Chegou a pensar em desistir?

Rúbia Magalhães, por e-mail

Nunca. Tenho o sonho de ser cantor desde os 12 anos e foi muito difícil chegar até o Fama, muitas portas na cara. Mas sempre tive a convicção de que iria conseguir. Isso me fez nunca perder as esperanças.

4 - O que te levou a sair do Exaltasamba?

Aryane Reis, Patrocínio (MG)

O motivo principal é o planejamento de vida. Seria hipocrisia dizer que não queria ter um trabalho sozinho, ter autonomia total, independência musical. É um recesso, porque não sabemos o dia de amanhã. Lógico que, se a nossa carreira solo der certo, não vamos voltar.

5 - Você tem medo de cair no anonimato?

Andreza Santos, Rio de Janeiro (RJ)

Não tenho, não, porque não posso me comparar com ninguém, nem quem deu certo, nem quem não deu. Não sei o que vai acontecer, mas se tem uma palavra que não existe na minha vida é medo.

6 - Como começou o namoro com a Fernanda Souza?

Amanda Ribeiro, Praia Grande (SP)

Nos encontramos no Carnaval deste ano em Salvador (BA). Ela subiu no nosso trio e nesse dia começamos a nos olhar de um jeito diferente. Trocamos telefones e ficamos nos falando por mensagem. Aí tivemos nosso primeiro encontro, num McDonald?s, no Rio. Começamos a namorar desde o primeiro dia em que ficamos.

7 - Você sente ciúme da Fernanda beijando atores na novela?

Lyam Frank, Juiz de Fora (MG)

Não vi ainda. Ciúme, claro que eu sinto. Não é legal ver sua namorada beijando outro cara. Mas não posso me preocupar com isso, senão ferrou (risos). Confio no meu taco!

8 - Quando vocês vão se casar e ter filhos?

Bruna, Londrina (PR)

A gente não sabe, mas tomara que não demore muito. Tem que ter planejamento. Nem se eu quisesse casar agora poderia. Tenho um monte de coisas para fazer, ela está na novela. Quero me casar na igreja como manda o figurino. Filhos eu quero. Quero ser um pai amigo, por isso não posso demorar muito.

9 - Como você lida com o assédio das fãs?

Juliana Pessoa, Rio de Janeiro (RJ)

Lido da maneira mais tranquila possível. Elas são enlouquecidas por mim e eu também por elas. Tudo que faço é por elas. Tem umas bem ousadas (risos). Elas costumavam dizer algumas frases mais pesadas, mas agora que sou comprometido, não mais. Mas não pararam de me pedir em casamento (risos).


Thiaguinho Barbosa: ?Até pensei em ser padre?

10 - Se não fosse músico, que profissão seguiria?

Manoela Almeida, Catanduva (SP)

Gostaria de ser fisioterapeuta. Prestei vestibular para música e não passei. Aí, para não ficar sem fazer nada, me inscrevi em comunicação social como primeira opção e fisio em segunda. Acabei fazendo comunicação (risos).

11 - Que comentários a seu respeito te deixam feliz e o que te aborrece?

Isabel Souza, Minas Gerais (BH)

Falar da minha música me faz feliz. Escutar alguém dizer que a minha música faz parte da vida, ver fã chorar no show. O que me deixa triste é quando querem dar um enfoque maior a minha pessoa. Porque eu sou músico. Não vendo nada além da música.

12 - Qual foi a pior fase

da sua carreira?

Ádisson Henrique,

Vitória de Santo Antão (PE)

Foi entre 2003 e 2004. No início do Exalta fui desacreditado pela administração e pela gravadora. Me castigou bastante. Cheguei a chorar, a ficar mal. Aí acabou despertando o leão. Comecei a fazer aula de canto, interpretação, fono. Eu precisava ser o melhor.

13 - O que fez com seu primeiro salário no Exalta?

Jacqueline Rosendo, João Pessoa (PB)

Comprei um aparelho de som que tocava CD. Custou 500 reais. Foi uma grande parte do meu salário. Depois disso já comprei minha casa em São Paulo, em que moro com meus pais, um carro legal. Mas não tenho tempo de usufruir o dinheiro que ganho.

14 - Quem cuida do seu dinheiro? Você tem muitos luxos?

Fernanda Segura, Valinhos (SP)

Minha mãe cuida. Meu dinheiro nem é meu, é da minha família. Banco minha casa. Nunca fui muito consumista. Hoje sou um pouco por roupa, só gasto com isso. Nunca fui de esbanjar. A gente investe muito.

15 - Você é religioso?

Vanessa Moura, Brasília (DF)

Sempre fui, sou católico. Cresci na igreja. Participava do grupo de jovens, do coral. Minha mãe era coordenadora da Pastoral da Música e meu pai, da paróquia. Fiz primeira comunhão, crisma, só falta o matrimônio (risos). Eu até pensei em ser padre em uma época da minha vida, mas mudei de ideia quando fiquei com vontade de cantar pagode.

16 - O que acha das pessoas que tatuam seu nome, colocam seu nome no filho?

Joscelin Silva, Queimados (RJ)

É muito bom ser influente na vida das pessoas de maneira positiva. Mas quando vejo alguém com tatuagem, me preocupo. Isso é sério demais, tem que ser muito bem pensada. Nem eu tenho tatuagem.

17 - Qual foi seu maior momento de solidão?

Maira Castro, São Paulo (SP)

No ano passado, me bateu uma crise de solidão. Eu tinha dificuldade para dormir, medo de ficar no escuro. Quanto maior o sucesso, mais shows e maior a distância das pessoas que você gosta. Foi quando chamei um amigo de infância para viajar comigo.

18 - Você é vaidoso?

Lúcia Lima, Itu (SP)

Deveria ser mais. Gosto de estar sempre de cabelo cortado e me preocupo com meu cheiro. Meu perfume tem que estar exalando sempre (risos).

19 - Já sofreu preconceito racial?

Ruth Passos, Guarujá (SP)

Já, sim. Hoje não mais, porque tenho dinheiro e sou artista. Mas, quando você é criança, é difícil esquecer que é negro. Tiram sarro do cabelo, a pretinha é sua namorada e não do amigo. Estudei em escola particular a vida toda e era o único. Sempre estudei para ser o melhor aluno porque meu pai dizia que eu não podia ser o segundo. Porque, mesmo que fosse o primeiro, eu seria menos que os outros, pois iriam me enxergar como negro.

20 - Qual a diferença do Thiaguinho de agora para o de oito anos atrás?

Danielle Andrade, Recife (PE)

Hoje sou mais maduro em relação à vida. Dou mais valor a meus amigos, muito mais valor às coisas simples da vida, como estar em casa e jantar com a família. Isso me emociona. Sou uma pessoa que fala ?eu te amo? para minha família e amigos ? antigamente eu não falava isso.

Fonte: Quem, revistaquem.globo.com