Travesti morre ao aplicar silicone industrial

Priscila pretendia aplicar o produto nas nádegas, quadril, pernas e seios

O travesti Jucinei Padilha, conhecido como Priscila, 21 anos, morreu após aplicar cinco litros de silicone industrial em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Priscila pretendia aplicar o produto nas nádegas, quadril, pernas e seios, numa clínica clandestina mantida por outro travesti identificado apenas como Érica.

Uma semana depois da aplicação, uma colega encontrou o travesti passando mal e chamou os bombeiros. Priscila morreu assim que chegou no hospital, vítima de falência múltipla dos órgãos.

O uso de silicone industrial é considerado inadequado para a utilização em seres humanos. O pai do travesti registrou um boletim de ocorrência e espera a investigação para punir os culpados pelo crime

Fonte: Terra, www.terra.com.br