Viciada em exercícios, atriz intensifica malhação para explorar sensualidade

Viciada em exercícios, atriz intensifica malhação para explorar sensualidade

Para interpretar essa nova fase de sua personagem, Fernanda teve de buscar referências em filmes.

Fernanda de Freitas passa por uma situação inusitada na TV. Aos 31 anos, a intérprete da assistente social Evelin de S.O.S. Emergência gargalha cada vez que comenta sobre o principal conflito de sua personagem no humorístico: a perda da virgindade tardia. "Desde a 1ª temporada o Marcius já havia deixado algumas pistas de que essa "trava" da Evelin poderia ser sexual. Quando li o texto, não me surpreendi. Adorei que a personagem tenha voltado com mudanças", garantiu Fernanda, referindo-se a Marcius Melhem, autor do dominical, que, ao invés de adotar o famoso "quem matou?" como o mistério de sua trama, preferiu o "quem pegou?". "Eu também não sei quem é. Mas tenho certeza que foi alguém do hospital", palpitou.

Para interpretar essa nova fase de sua personagem, Fernanda teve de buscar referências em filmes, já que no seu caso a perda da virgindade não foi um tabu. "Na minha casa nós sempre conversamos muito sobre tudo. Comigo foi muito mais tranquilo", lembrou. Mauro Mendonça Filho, diretor da produção, indicou o longa Sonhos de um Sedutor, de Woody Allen, para que a atriz se preparasse para a mudança no perfil de Evelin. "O personagem que o Woody interpreta é praticamente a Evelin de calças. Assim como ela, quando se trata de sexo, os dois ficam nervosos e desajeitados", explicou. Apesar disso, a postura mais determinada da assistente social tornou a personagem mais próxima da atriz. "Pude emprestar mais os meus trejeitos. Mas acredito que os atores sempre colocam algo seu nos personagens. Por mais distantes que eles possam ser", esclareceu.

Por conta do figurino mais ousado da personagem, Fernanda de Freitas, que se define como uma "viciada em exercícios físicos", intensificou a rotina de atividades. A atriz, que já foi professora de balé, continua praticando a dança clássica há seis anos ininterruptos. "Acredito que o balé é uma extensão da minha preparação como atriz. O corpo é um dos principais instrumentos na minha profissão. Não falto nenhuma aula", garantiu. E quando, por compromissos profissionais, é impedida de ir à aula, a atriz opta por pedalar na orla carioca. "Ando com uma bicicleta dobrável na mala do carro. É só ter um tempo livre que saio pedalando pelo Rio", contou.

A iniciativa de incluir as pedaladas como um exercício constante da sua rotina surgiu depois de Fernanda rodar o filme Malu de Bicicleta, comédia romântica de Flávio Ramos Tambellini, que foi exibido no Festival de Cinema de Paulínia e no Festival de Cinema do Rio deste ano. No longa Fernanda contracena com Marcelo Serrado e Marjorie Estiano. Por conta da produção a atriz ganhou o prêmio de Melhor Atriz do Festival de Paulínia. "Com os meus últimos trabalhos estou conseguindo mostrar que não preciso viver apenas meninas bonitinhas e que sei atuar. Estou em uma fase ótima", comemorou.

Fonte: Terra