Escolas X-9, Vai-Vai e Rosas são destaques da primeira noite de desfiles em São Paulo

Escolas X-9, Vai-Vai e Rosas são destaques da primeira noite de desfiles em São Paulo

Primeira noite do carnaval 2012 ocorreu sem incidentes e com tempo bom

As escolas X-9 Paulistana, Vai-Vai e Rosas de Ouro foram destaques da primeira noite de desfiles do Grupo Especial das escolas em São Paulo. Entre a noite de sexta-feira (17) e a madrugada de sábado (18), seis escolas passaram pelo Sambódromo do Anhembi.

Camisa Verde e Branco, Império de Casa Verde, Mancha Verde e Acadêmicos do Tucuruvi também fizeram apresentações sem imprevistos e agora apostam todas as suas fichas na apuração das notas que ocorrerá na terça-feira (21).

Em uma noite sem chuva e com arquibancadas lotadas, o público que foi ao Anhembi testemunhou uma disputa acirrada entre as concorrentes, que investiram em fantasias elaboradas e em enredos que trataram desde causas de cidadania até os relacionados ao esporte. As beldades também foram destaque: a musa Ellen Rocche desta vez apareceu morena e de disse mais inteligente, enquanto Viviane Araújo desfilou pela oitava vez como rainha de bateria da Mancha Verde.

X-9 Paulistana

A X-9 Paulistana vai tentar provar, quando os envelopes com as notas forem abertos, que uma competição de automobilismo pode ser mote para um carnaval bem feito e ajudar a revelar peculiaridades do sertão brasileiro. O nome do enredo é longo, o maior entre todas as escolas da primeira noite: "Trazendo para os braços do povo o coração do Brasil... A X-9 Paulistana num grande rally desbrava os sertões dessa gente varonil!?

Mas a proposta foi objetiva. Investiu em cores, fantasias elaboradas e organização. Além de um desfile técnico e sem incidentes, a X-9 Paulistana ainda surpreendeu ao apresentar no quarto carro uma escultura articulada de um boi, que chegou aos 12 metros de altura durante suas evoluções. O fio condutor do enredo - elaborado pelo carnavalescos Rodrigo Cadete e Flávio Campello - foi a comemoração da 20ª edição do Rally dos Sertões.


X-9, Vai-Vai e Rosas são destaques da primeira noite de desfiles em São Paulo

A escola levou para o Anhembi musas que encantaram público e ritmistas. Rosana Ferreira, a Miss Bumbum, foi destaque de chão da X-9 Paulistana. A musa desfilou em frente à ala dos compositores. Ela usou uma fantasia que custou R$ 32 mil. A ex-BBB Mayra Cardi foi outro destaque e já pode se considerar vitoriosa: venceu os 540 metros da passarela do samba carregando uma fantasia com cerca de 40 quilos.

Vai-Vai

A Vai-Vai não poupou reverências às mulheres para agradar ao público do Anhembi. Seu enredo, "Mulheres que brilham", foi dedicado a homenagear personalidades femininas poderosas da realidade e da ficção: a pintora Tarsila do Amaral, a escritora Clarice Lispector, a mulher de Lampião, Maria Bonita, a primeira mulher, Eva, a Tia Anastácia de Monteiro Lobato, Carmen Miranda, Lygia Fagundes Telles, Irmã Dulce, Zilda Arns estavam entre as homenageadas nos carros e alegorias da escola.

A presidente Dilma Rousseff, citada pela escola como a mulher mais importante do Brasil, ganhou menção especial no último carro da agremiação, chamado "Por que vencestes que tu brilhas - o grande lar brasileiro". A menção à presidente antecede a de outra agremiação paulistana a um político: neste sábado (18) a Gaviões da Fiel terá enredo sobre o ex-presidente Luiz Inácio da Silva.

O desfile da Vai-Vai teve 64 minutos de duração, um a menos que o prazo máximo estipulado para a agremiação cruzar o Sambódromo, e terminou por volta das 4h20. Houve um contratempo no final: um dos carros alegóricos da Vai-Vai atropelou o cronômetro e uma escada improvisada foi improvisada de apoio para ele.

Rosas de Ouro

Um livro gigante na comissão de frente anunciava para o público que a Rosas de Ouro trazia uma história para contar no Anhembi nesta primeira noite de desfiles do carnaval 2012 em São Paulo. A escola da Freguesia do Ó, bairro na Zona Norte da capital paulista, foi buscar inspiração em um país em outro continente. Se os jurados gostarem da viagem, a agremiação pode levar o oitavo título fazendo carnaval com a Hungria.

As credenciais para manter o sonho vivo até a apuração incluem uma apresentação rica em detalhes e com acabamento esmerado. Ainda entram nesta conta o desempenho dos ritmistas comandados por mestre Tornado, que mantiveram com estilo o andamento do samba e garantiram empolgação extra até nas arquibancadas.

Intitulado ?O Reino dos Justus?, o enredo apresentou símbolos e origens medievais da região até alcançar a saga do povo húngaro que, no início do século passado, engrossou a lista de estrangeiros que começaram a desembarcar no Brasil.

Fonte: G1