Adenízia volta para o time e Brasil vence a Bulgária em copa

Apesar do retorno de Adenízia, outras cinco jogadoras estãao fora.

Foi praticamente um "replay" da partida contra a Alemanha, na última sexta-feira. Diante da Bulgária, o Brasil começou mais uma vez devagar e demorou a se acertar na defesa até que deslanchou ainda no primeiro set para chegar à segunda vitória na Copa Rio Internacional, torneio amistoso disputado no Maracanãzinho. Com o reforço de Adenízia, recuperada de um problema na panturrilha, a seleção anotou 3 sets a 0 sobre as rivais, parciais de 25/20, 25/21 e 26/24. Deu tempo até para José Roberto Guimarães promover um rodízio na equipe - com as entradas de Sheilla, Roberto e Leia como líbero durante o jogo - sem que as brasileiras diminuíssem o ritmo até uma desatenção no fim do terceiro set, quando a equipe perdeu chances de definir o jogo com maior facilidade.


- Eu acho que, no volume de jogo, de uma certa forma, gostei (da partida). Estamos sabendo trabalhar a bola, com paciência. O bloqueio está se posicionando melhor. Só o passe no final do terceiro set é que acabou complicando um pouco mais o jogo. Quanto mais briga por posição acontecer, mais o nível do time se eleva. E isso é importante. A cada partida e treinamento a gente tira conclusões. Hoje foi um dia a menos para as Olimpíadas e o foco é importante. Isso que aconteceu no terceiro set não pode acontecer, imagina isso nas Olimpíadas... - analisou o técnico José Roberto Guimarães.

Apesar do retorno de Adenízia, outras cinco jogadoras - Fabiana, Fernanda Garay, Juciley, Joycinha e Suellen - continuaram fora por conta de lesões e assistiram ao jogo da arquibancada. Outro desfalque foi Bárbara, que sentiu uma indisposição e foi preservada do confronto justamente para a entrada de Adenízia.


Com duas vitórias em dois jogos, o Brasil encerra sua participação na Copa Rio Internacional neste domingo, a partir das 11h30 (de Brasília) diante da Holanda no Maracanãzinho. O SporTV transmite a partida ao vivo. Antes, Bulgária e Alemanha completam a rodada final do torneio amistoso.


O jogo


Sem Bárbara, titular na partida de sexta-feira, por conta de uma indisposição, o Brasil iniciou o duelo com a Bulgária com apenas uma alteração em relação ao time que bateu a Alemanha. Adenízia, recuperada de um problema na panturrilha foi a escolhida para entrar na equipe. Logo de cara, foram as búlgaras que mandaram no confronto. Com o Brasil bastante desarrumado na defesa, a oposto canhota Nikolova foi fazendo um grande estrago e ajudou as adversárias a abrirem boa vantagem, chegando a 10 a 5. Com Leia no lugar de Camila Brait, a seleção se ajustou e foi se recuperando no período até alcançar a virada em 15 a 14 com um show de bloqueios - foram cinco ao todo no primeiro set. O jogo seguiu com alternâncias de placar até a reta final do set, quando o Brasil contou com bons ataques de Monique para abrir vantagem e fechar em 25 a 20.

O Brasil iniciou o segundo set bastante sólido na defesa e, com quatro pontos de bloqueio, abriu vantagem de 8 a 5. Mais arrumado que no período anterior, as meninas ainda contaram com um alto número de erros das adversárias e comandaram o set, sem sentir qualquer aproximação da Bulgária. Se Monique tinha se destacado anteriormente, foi a vez de Natália brilhar no ataque, rendendo até elogios de José Roberto Guimarães em um dos tempos técnicos, que a comparou ao ex-jogador da seleção Giovanni. Pelo outro lado, Nikolova continuava incomodando, mas nada que colocasse em risco a vitória no set por 25 a 21. Sheilla e Roberta ainda entraram na equipe perto do fim para ganharem ritmo de jogo.


Antes do início do terceiro set, as jogadoras que participaram da campanha do título mundial sub-23 receberam homenagens no centro da quadra do Maracanãzinho. O jogo recomeçou com a equipe titular de volta e um confronto mais equilibrado no início, com as brasileiras errando um pouco mais na recepção. Vasileva passou a incomodar um pouco mais a defesa, além do bom ritmo imposto por Nikolova. Mas o Brasil aos poucos se ajustou e, com um bloqueio sólido, principalmente com Gabi e por Adenízia abriu grande vantagem e teve cinco match points. No entanto, permitiu a reação da Bulgária, que empatou em 24 a 24, antes de fechar o jogo em 26 a 24 em mais um ponto de bloqueio.

Clique e leia mais notícias de esporte. 

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Globoesporte