Adriano dá ""até breve"" e se diz em dívida com a Itália

Adriano dá ""até breve"" e se diz em dívida com a Itália

A decisão de trocar a favela, distanciar-se do Rio e da família foi bem pensada

Destino: Roma, a cidade dos imperadores. Ponto de partida: Gávea, onde deixou nesta quinta-feira com lágrimas nos olhos o grupo que qualificou como o ?melhor que já conviveu?. Adriano despediu-se de seu reinado de um ano no Flamengo.

Reconheceu erros, avisou que não voltará a cometê-los no próximo clube e resumiu:

- Saio de cabeça erguida.

A decisão de trocar a favela, distanciar-se do Rio e da família foi bem pensada. Quando deixou o Inter de Milão em abril de 2009, saiu por baixo, dizendo-se infeliz na Itália, terra em que viveu por sete anos. Agora, o orgulho ferido falou mais alto.

- Faltava alguma coisa para apagar aquilo que eu fiz (na Itália). Devia esse retorno a eles, até como respeito. Está sendo bem pensado e fico muito feliz.

Adriano embarca para a Itália no próximo dia 6 de junho e assina contrato por três anos com o Roma.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva:

Cobrança da indisciplina no próximo clube

"Não posso fazer o que fiz antes. Me arrependo de ter feito, mas não adianta. Já passou, tenho que amadurecer. Tenho orgulho de retornar à Itália. Voltei para lá mais por orgulho do que por dinheiro. O Roma vai me dar estrutura para que eu leve minha família e meus filhos. Eles sabem que uma das coisas que me fizeram voltar ao Brasil foi isso".

Adriano em coletiva do FlamengoAdriano espera momento da coletiva

(Foto: Eduardo Peixoto / GLOBOESPORTE.COM)

O status de Imperador

"Fico feliz por ser chamado assim, e estou indo para a cidade dos imperadores. Mas é difícil (ser o Imperador). Quando você tem o nome fica complicado fazer algo como uma pessoa normal. Você é sempre criticado. Fico chateado na hora, mas no outro dia estou rindo, brincando. Só quem me conhece sabe quem eu sou. Só nos tornamos fortes ultrapassando essas barreiras".

Dívida ao Flamengo

"Sou flamenguista doente, não tenho mágoa e amo de paixão. Não devo nada de título. Falta de garra e força de vontade também não foi. Agradeço ao clube e devo o carinho que os torcedores me deram e me fizeram ser feliz de novo. Fora isso, fiz meu trabalho e tentei de tudo para ir à final da Libertadores. Espero retornar ao Flamengo com esse carinho. Vou seguir minha vida, mas sempre com o coração pensando aqui".

Por que sair do Rio?

"Já matei a saudade demais. Falta vou sempre sentir. Não tem como trocar esse país. Vai ficar o coração no Flamengo, no Brasil... Mas cada um tem que viver sua vida".

Volta ao Flamengo no futuro

"Está louco. Claro que vou voltar. Flamengo será sempre minha primeira opção. Não tenho por que fugir disso. Até porque senão minha avó (Wanda) me mata. Não posso desonrá-la".

Despedida dos companheiros

"Olha, se eu falar que não me emocionei estou mentindo. Tive que chorar. Vivi com o grupo um ano inteiro e fica difícil não se despedir. Estou indo com o coração na mão. Qualquer jogador queria entrar neste grupo. Não foi a primeira vez que me despedi, mas igual a esse grupo nunca vi".

Diferenças de 2009 para 2010

"Em 2009 foi tudo positivo. Vim para cá, dei a volta por cima e fui campeão brasileiro. Esse ano não aconteceu como eu queria. Não começamos bem e poderia ser melhor. Poderia ganhar o Carioca, disputar a final da Libertadores. Esse último jogo o Flamengo teve um bom futebol e saímos daqui de cabeça erguida. Não deixei de lutar".

Sonho de disputar a próxima Copa do Mundo

"Meio difícil. Essa Copa era a última, mas não foi possível. Não vou torcer contra, até porque tem muitos jogadores amigos. Espero que eles sejam campeões. Dei alguns motivos para que ele não me convocasse. Mas a vida continua. Hoje tomo novo caminho. Tem barreiras, mas preciso ser maduro para ultrapassá-las".

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com