África do Sul bate a Nova Zelândia por 2 x 0

O atacante Parker foi o grande herói da vitória da África do Sul

Três dias após tirar um gol do próprio time em cima da linha, o atacante Parker foi o grande herói da vitória da África do Sul sobre a Nova Zelândia por 2 a 0, em Rustemburgo. Um resultado que levou o time da casa ao segundo lugar e diminuiu a pressão sobre o técnico Joel Santana. Na próxima partida, contra a poderosa Espanha, um empate garante a África do Sul na segunda fase da Copa das Confederações.

Mas foi uma vitória sofrida para Joel. Não pelo placar, mas pelos erros dos sul-africanos. Eram apenas dois minutos de jogo e o atacante Fanteni já tinha dado uma furada constrangedora dentro da área. Modise tentou no minuto seguinte, mas o chute saiu fraquinho. Fanteni até acertou o gol, aos nove minutos, só que o árbitro acertadamente marcou impedimento. Aos 16, Piennar teve espaço, ajeitou a bola como quis na entrada da área, mas mandou no meio do gol. E diante do show de incompetência, Joel bem que deve ter pensado por que ele é tão criticado se seus atacantes simplesmente não sabem fazer gol.

Até que aos 20 minutos, Masilela fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Parker. O atacante nem pegou tão bem na bola, mas o desvio no zagueiro Boyens matou o goleiro da Nova Zelândia. África do Sul 1 a 0.

Fanteni quase fez o segundo, aos 33. Ele arrancou do meio-campo com liberdade, deu belo drible em Mullingan, encheu o pé, mas a bola foi no centro do gol e Moss conseguiu desviar.

Assim como na estréia, contra o Iraque, a África do Sul dominava a partida, criava chances, mas tinha enorme dificuldade para concluir. Joel nem precisava falar nada no intervalo, bastava entregar uma forma para o pé de cada jogador.

Como não dava para fazer isso, o técnico continuou sofrendo do banco com a falta de pontaria de seu time no segundo tempo. Com cinco minutos, já tinham saído duas belas triangulações, que terminaram no pé de Modise e de lá para as nuvens.

Mas aos sete minutos finalmente veio o segundo gol, de novo em jogada pela esquerda de Masilela para Parker. E o atacante, meio de coxa, meio de barriga, desviou para fazer 2 a 0.

Só que o desespero de Joel continuava. Aos 16, ele até fez cara de choro quando Gaxa, sozinho, caiu sentado ao furar um cruzamento. Aos 18, resolveu tirar o atrapalhado Fanteni para lançar Mashego. E o atacante do Orlando Pirates mostrou por que consegue ser reserva de Fanteni, ao perder três grandes chances aos 35, 37 e 44 minutos - a última livre na entrada da pequena área.

Fonte: g1, www.g1.com.br