Agente de Alexandre Pato vibra com chegada de Menezes ao Corinthians

o empresário Gilmar Veloz lembrou que a volta de Mano Menezes ao Parque São Jorge fará bem ao seu cliente

Alexandre Pato ganhou um aliado importante para mudar sua imagem em 2014 com a camisa do Corinthians. Pelo menos, na visão de quem administra a carreira do atacante fora do campo.

Em entrevista ao LANCE!Net, o empresário Gilmar Veloz lembrou que a volta de Mano Menezes ao Parque São Jorge fará bem ao seu cliente, principalmente, pela relação de carinho e confiança entre os dois.


Agente de Pato vibra com chegada de Mano Menezes ao Corinthians

? Nós estamos tranquilos. O treinador gosta muito dele ? diz Veloz.

Questionado sobre a pressão exercida por boa parte da torcida após perder o pênalti contra o Grêmio na Arena, o agente minimiza.

? Pressão? Só não sofre pressão quem fica em casa e não trabalha ? afirmou Veloz, em tom de ironia.

A tranquilidade demonstrada pelo empresário não é por acaso. Foi Mano Menezes quem deu uma nova chance a Pato com a camisa da Seleção Brasileira. Em agosto de 2010, logo em sua estreia como treinador da CBF, o chamou para o amistoso contra os EUA, em Nova Jersey ? estreia de Neymar. Na sequência, vieram outras convocações com ele.

Apesar do aliado, a situação não se alterou. A cobrança de parte da torcida corintiana ? principalmente das torcidas organizadas ?, não deverá cessar no início do próximo ano.

Outro fator que pode jogar contra o camisa 7 é a falta de identificação com o clube, diagnosticada pela diretoria como irreversível. Uma proposta europeia que dê 12 milhões de euros livres resultaria na liberação automática. Diretoria do Timão dizem que Pato não está à venda, mas...

? Ele não está à venda. Mas o Corinthians está aberto a ouvir proposta para qualquer jogador que desperte interesse de qualquer clube do mundo ? diz Roberto de Andrade, diretor de futebol do Corinthians.

Mano Menezes e Pato pela Seleção:

A estreia

Apesar de Alexandre Pato não estar vindo de um bom momento no Milan (ITA), durante a temporada 2010/2011, Mano chamou o atacante em sua primeira lista, anunciada em 26/7/2010. Na estreia do treinador frente à Seleção Brasileira, 2 a 0 sobre os Estados Unidos, com gol do camisa 7, que iniciou no time titular, formando o ataque com Neymar e Robinho.

Até a demissão

Até a saída de Mano Menezes, em 23/11/2012, Pato tinha constante presença com a Amarelinha. Apesar dos vários cortes por conta das seguidas lesões que o atacante sofria na Itália, foram 21 jogos e nove gols sob o comando do treinador. Ele deixou sua marca nas três primeiras partidas do técnico no cargo (EUA, Irã e Ucrânia) e disputou Copa América e Olimpíadas.

Blindados por Mano que não deram certo no Timão:

Edno

Meia-atacante, contratado da Lusa, não conseguiu brilhar no Corinthians de Mano. Com boa parte da torcida no pé do jogador, coube a Mano defendê-lo. Por algumas vezes, o manteve na equipe mesmo diante da relação complicada com a torcida, que não suportava o seu futebol.

Lulinha

Prata da casa, meia-atacante passou a ser utilizado com certa frequência no início da trajetória de Mano no Corinthians, ainda em 2008. Sem medo da torcida, Mano deu chance a Lulinha em diversos jogos, mesmo diante do péssimo futebol do jogador, que sentiu a pressão e não vingou.

Com Pato, até esquema pode mudar

Com a sobrevida que Alexandre Pato ganha no Corinthians com a chegada do técnico Mano Menezes, até o esquema tático corre riscos de ser trocado em 2014.

Se optar por colocar o camisa 7 e Guerrero como titulares, o novo comandante poderia abrir mão do 4-2-3-1 que vinha sendo usado por Tite e que ele mesmo armou em sua primeira passagem pelo Parque São Jorge.

Apesar de Pato ter sido trabalhado pelo antigo treinador para atuar aberto na linha de três, não conseguiu uma sequência de jogos na função para provar que pode ser usado por ali. O fato de ter que marcar e acompanhar o lateral rival pesa contra. O peruano, por sua vez, tem características de pivô e nunca atuou em outra função no Timão.

Com a dupla em campo, Mano Menezes poderia apostar em um esquema tático com dois atacantes, usando Guerrero como referência e Pato com mais mobilidade. A pré-temporada deverá ter muitos testes.

Fonte: O Povo