Agente de Riascos promete ação contra Cruzeiro na Justiça e na Fifa

Empresário ainda declarou que atleta recebeu propostas

Riascos disse que foi à Colômbia com o intuito de se proteger. Durante a estada na terra natal, o italiano Mauro Bousquet se encarrega de resolver a situação do cliente. O empresário planeja entrar na Justiça contra o Cruzeiro alegando falta de segurança ao atleta para trabalhar em Belo Horizonte, descarta um retorno ao Brasil e revela os interessados em seu futebol.

Questionado sobre a vida do colombiano no país após o afastamento na Toca da Raposa II, o representante assegurou que levará a situação à Fifa, alegando a ausência de segurança dos familiares do jogador.

"Não é que queiramos (entrar na Justiça contra o Cruzeiro), nós devemos. Estamos falando de coisas fora do comum. Nada a ver com o futebol", afirmou.

"A falta de segurança não estava no Rio (de Janeiro), estava em Belo Horizonte. Você não pode trabalhar em um lugar em que você vai ao trabalho e não tem certeza de que voltará para a sua família. É uma coisa que é difícil de viver. A Fifa vai tomar a decisão definitiva. Não sou o dono da verdade, mas também não quero ser cúmplice de um crime", acrescentou.

Bousquet cita as ameaças à família de Riascos e o caso de um suposto disparo de arma de fogo à residência do atleta na capital mineira. O empresário acredita que o jogador poderia resolver o mal-entendido e reintegrar o elenco.

"Para mim, se não tivesse acontecido essa questão da ameaça, do tiro, ele poderia pedir desculpas por uma declaração infeliz e se explicar, como já havia feito pelo comunicado de sua assessoria de imprensa. Ele não queria ofender ninguém e não estava totalmente direcionado à instituição do Cruzeiro, à torcida", disse.

Propostas

O agente italiano se manifestou sobre a atitude da diretoria do Cruzeiro na condução do caso e revelou quais são os clubes interessados na contratação do centroavante colombiano:

"Depois somente de 15 dias, o presidente falou que ele não estava falando sobre o clube. Fica parecendo uma mentira. Porque para mim ele poderia falar 24 horas depois ou uma hora depois. Ele foi afastado e, depois, sofreu muita ameaça e teve a questão do tiro. Isso significa que ele não pode jogar no Brasil", declarou.

"Ele tem (proposta) do APOEK, um clube da Turquia, tem o Vasco da Gama, tem um clube de Portugal. Mas nesse momento, ele não quer saber nada, quer somente definir a situação com o Cruzeiro", concluiu.

Riascos (Crédito: Reprodução)
Riascos (Crédito: Reprodução)



Fonte: Com informações do Uol