Agora em busca do hexa, Felipão anuncia primeira lista nesta terça

Agora em busca do hexa, Felipão anuncia primeira lista nesta terça

Substituto do demitido Mano Menezes, campeão mundial convoca jogadores para amistoso contra Inglaterra, no dia 6 de fevereiro, em Londres

A cada convocação da seleção brasileira com Mano Menezes, as novidades eram menores. Surpresas? Raras. E agora? Com a demissão do treinador, em novembro do ano passado, e a chegada de Luiiz Felipe Scolari (técnico) e Carlos Alberto Parreira (coordenador), o torcedor certamente verá caras novas e outras nem tanto na primeira lista da Seleção que será divulgada por Felipão nesta terça-feira, às 14h (de Brasília), no Hotel Sheraton, em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Nomes antes relegados por Mano podem reaparecer com Felipão. O goleiro Julio César, do Queens Park Rangers, e o atacante Robinho, do Milan, por exemplo, são apenas alguns dos que podem pintar na lista do comandante para o amistoso contra a Inglaterra, no dia 6 de fevereiro, em Wembley, em Londres. O primeiro do novo treinador à frente do time canarinho.

Por outro lado, jogadores que atuam no futebol brasileiro e teriam alguma chance com Felipão podem ser deixados de lado. Tudo por conta do pouco tempo de preparação dos clubes brasileiros, que retornaram às atividades nos campeonatos estaduais no último fim de semana. Por conta disso, Ronaldinho Gaúcho, do Atlético-MG, por exemplo, ainda não deve ser incluído na lista de Luiz Felipe Scolari - o Campeonato Mineiro só começa neste fim de semana.

"Não poderemos chamar alguns jogadores por causa de lesões, que atrapalham, outros que voltaram mais tarde do período de descanso", diz Felipão, sobre primeira convocação do Brasil.

- Não poderemos chamar alguns jogadores por causa de lesões, que atrapalham, outros que voltaram mais tarde do período de descanso. Vamos conversar com a comissão técnica e definir alguns nomes, tentaremos chegar a uma Seleção ideal, mas certamente teremos de três a cinco jogadores diferentes nos próximos jogos. Só vai dar para ter uma ideia em março ou abril - afirmou o treinador, que também citou as férias de atletas que atuam na Rússia e na Ucrânia.

Para o amistoso diante dos ingleses, Felipão já tem um desfalque certo: o zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain. Com uma lesão muscular, o capitão do time canarinho no período de Mano Menezes não será chamado para a partida do próximo dia 6. O lateral-esquerdo Marcelo, recém-recuperado de uma cirurgia e já de volta aos treinos do Real Madrid, também corre o risco de ficar fora da primeira convocação do comandante da Seleção.

O coordenador Carlos Alberto Parreira admitiu que o trabalho de Mano Menezes não será completamente descartado pela comissão técnica atual.

- O treinador é quem tem a última palavra, sempre, sobre os jogadores, sobre o que ele quer, o que pretende. O trabalho não vai começar do zero. Tem uma base que o Mano deixou e não tem como fugir disso. Não tem como encontrar novos 100 jogadores no futebol brasileiro. A base do Mano servirá de pontapé. Os jogadores vão sair dessa base, pois não haverá nenhum mistério. Será um início de trabalho para um jogo tão importante contra a Inglaterra, em Wembley, um palco histórico do futebol mundial - afirmou o campeão mundial em 1994.

Mano inicia renovação, mas não chega à Copa de 2014

Mano Menezes foi demitido da seleção brasileira no dia 23 de novembro do ano passado, dois dias depois de conquistar o bicampeonato do Superclássico das Américas. Substituído pelo campeão do mundo em 2002, o antigo treinador deixou como principal legado para Felipão um Neymar consolidado como atacante da Seleção.

Se com Dunga, em 2010, o santista não teve chances, na era Mano Menezes o atacante tornou-se a principal referência na seleção brasileira. Não à toa, tem o status de artilheiro desde agosto de 2010, com 17 gols em 27 partidas. Como parte dessa renovação estão também Lucas, do PSG, e Oscar, do Chelsea, por exemplo.

Durante os pouco mais de dois anos que esteve à frente da seleção brasileira, Mano, ainda fora do futebol, convocou um total de 102 jogadores. Nesse grupo, poucos remanescentes da Copa do Mundo de 2010, na qual o Brasil caiu nas quartas de final para a Holanda, continuaram: Thiago Silva, Kaká, Daniel Alves e Ramires. Embora muitos outros tenham sido convocados ao longo desses dois anos, apenas esses quatro estiveram nas últimas listas do ex-treinador da Seleção. A tendência é que Felipão aproveita boa parte da base deixada pelo antecessor, mas o campeão tem como projeto dar mais experiência ao time verde e amarelo.

Fonte: GloboEsporte.com