Camisa 8: Alegre, Ganso é apresentado no São Paulo e desconhece data de sua estreia

Camisa 8: Alegre, Ganso é apresentado no São Paulo e desconhece data de sua estreia

Durante a entrevista, Paulo Henrique recebeu as boas-vindas dos dirigentes tricolores Adalberto Baptista e João Paulo de Jesus Lopes,

Após longo imbróglio que marcou as últimas semanas, o meia Paulo Henrique Ganso enfim foi apresentado no São Paulo. Neste domingo, pouco antes do confronto entre o clube tricolor e o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, o novo camisa 8 concedeu a primeira entrevista como jogador são-paulino.

Durante a entrevista, Paulo Henrique recebeu as boas-vindas dos dirigentes tricolores Adalberto Baptista e João Paulo de Jesus Lopes, cumprimentou jornalistas - que lotaram a sala de imprensa do Estádio do Morumbi - e apareceu vestindo uma camisa pólo vermelha do São Paulo, antes de responder às primeiras perguntas dos reporteres.

"Meu sentimento está sendo o melhor possível, de muita alegria, fui bem recepcionado por todos os jogadores e funcionários, fico feliz de ser recebido dessa maneira", foram as primeiras palavras do meio-campista neste domingo. "Não tenho data para a estreia, volto só quando estiver seguro, é o momento de fazer um bom trabalho para voltar bem", acrescentou.

Contratado a peso de ouro - R$ 23,9 milhões por 45% de seus direitos econômicos -, Ganso chega ao São Paulo com status de craque. O jogador deixou o Santos depois de briga que se arrastava pelos últimos meses, principalmente pela insatisfação do atleta com seu contrato com a equipe da Vila Belmiro.

O Grêmio também havia mostrado interesse na aquisição do atleta, assim como Inter e Flamengo, mas o meia sempre demonstrou maior simpatia pelo São Paulo. O camisa 8 assinou um vínculo de cinco anos e será apresentado oficialmente aos torcedores ainda neste domingo, minutos antes do confronto entre o time tricolor e o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, no Estádio do Morumbi.

De camisa 10 ideal a meia contestado

Ganso, revelado nas categorias de base do Santos, começou no clube em 2008, junto a Neymar, a maior estrela do time na atualidade. Desde que chegou ao time profissional, a carreira de Ganso se revezou em sobes e desces. Nos primeiros anos, o jogador conquistou críticos e torcedores não apenas por ser uma das maiores promessas do futebol do Brasil, mas por ter surgido como protótipo do camisa 10 criativo e pensador, em falta nos últimos anos.

A trajetória de Ganso - que parecia traçar uma ascensão meteórica rumo ao estrelato nos principais gramados do mundo - teve, porém, um baque grande em 2010. No meio daquela temporada, o jogador sofreu grave lesão no ligamento cruzado de seu joelho.

A lesão deixou Ganso fora dos gramados por seis meses e comprometeu a sequência da carreira no Santos do jogador, que não conseguiu manter o nível de seu futebol e perdeu prestígio com a torcida.

A volta ao clube veio durante a Copa Libertadores de 2011, mas nem a conquista do título continental fez com que o meia retornasse a seus melhores dias no Santos. À sombra de Neymar, que se consolidava como grande ídolo e craque do Brasil, Ganso perdeu espaço na mídia e também na Seleção Brasileira. De camisa 10 incontestável, o jogador passou a opção para o meio-campo.

No time olímpico de Mano Menezes, que ficou com a prata na Olimpíada de Londres, o meia Oscar, do Internacional, vestiu a camisa 10 da equipe, a qual, há poucos anos, era reservada para o jogador santista.

Logo após a Olimpíada, intensificaram-se os boatos sobre uma possível saída do Santos. E o destino para Ganso se tornou justamente o rival São Paulo, que quis buscar na Vila Belmiro um substituto à altura para Lucas, negociado com o Paris Saint-Germain. O meia, dessa forma, rompe o contrato com a equipe praiana, com final estipulado para fevereiro de 2015.

Fonte: Terra