Após batida de 17 carros na largada, Felipe Nasr é 4º na GP2

Após batida de 17 carros na largada, Felipe Nasr é 4º na GP2

Pole, Cecotto Jr. faz lambança e provoca engavetamento cinematográfico na primeira curva.

Se em corridas disputadas em autódromos convencionais, os jovens ? e ainda em aprendizado - pilotos da GP2, categoria de acesso à Fórmula 1, costumam promover corridas com muitos acidentes, era de se imaginar que eles dificilmente passariam ilesos nas estreitas ruas de Mônaco. Dito e feito. E logo na primeira curva. Após largar mal e perder a primeira posição para o companheiro de equipe Arden, Mitch Evans, o pole position Johnny Cecotto Jr. perdeu o ponto de freada, passou reto e bateu na proteção de pneus saída da ?Sainte Devote?.

O venezuelano provocou um acidente cinematográfico que atingiu17 dos 26 carros do grid, sendo que14 deles ficaram engavetados, interrompendo a corrida. Como punição, Cecotto foi suspenso da segunda corrida da GP2 em Monte Carlo, que será disputada neste sábado, às 11h10 (horário de Brasília).

Quem se deu bem foi Felipe Nasr, um dos poucos pilotos que passaram pela primeira curva. Ele largava em nono, sua pior posição de largada no ano, mas mostrou reflexo para fugir da confusão sem maiores problemas, danificando apenas o bico dianteiro.

Ele trocou a peça e pôde recomeçar a prova em quarto. Depois da relargada, o brasileiro manteve a posição até o fim da corrida. Com o resultado, o vice-líder do campeonato Nasr tirou dois pontos de desvantagem para o piloto da casa, Stefano Coletti (Rapax), que chegou em sexto. O monegasco possui 103 pontos, contra 88 do brasileiro.

A sequência da prova transcorreu sem grandes incidentes e terminou com a vitória do britânico Sam Bird (Russian Time). Completaram o pódio o italiano Kevin Ceccon (Trident) e o neo-zelandês Mitch Evans. Bird e Ceccon conseguiram se livrar do "engarragamento" na primeira curva, mas assim como Nasr também não passaram ilesos. Os dois chegaram a se tocar, danificando seus carros, que foram consertados antes do recomeço.

A primeira largada já havia sido dada com um atraso de aproximadamente 15 minutos para que fossem feitos reparos de emergência na pista em razão de óleo derramado por uma prova anterior da Porsche Cup. A lambança protagonizada por Cecotto provocou a interrupção da prova e um novo atraso, agora de cerca de 45 minutos. Uma hora depois da previsão inicial para o começo da corrida, foi realizada uma nova largada. Dessa vez em fila indiana, atrás do safety car e sem oito carros que se envolveram no acidente inicial e não tiveram mais condições de seguir. Mitch Evans (Arden) saiu na ponta, seguido por Bird Ceccon e Nasr.

Bird assumiu a ponta após a primeira rodada de pit stops. Evans parou cedo e ainda voltou atás de Ceccon, enquanto o piloto da Russian Time ficou com pista livre, atrasou sua parada nos boxes e quando a fez, retornou na liderança. Daí em diante, Bird voou baixo e abriu imensa vantagem, cruzando a linha de chegada com uma diferença de 22s sobre o Ceccon. Evans ainda teve que segurar a pressão de Felipe Nasr para assegurar o terceiro lugar no pódio.

Os pilotos voltam às ruas de Monte Carlo neste sábado, a partir das 11h10 (horário de Brasília) para a segunda corrida da GP2. Em razão da inversão do grid de largada entre os oito primeiros colocados da primeira prova, Adrian Quaife-Hobbs (MP), que havia partido em último nesta sexta, começará na pole-position.

Fonte: Globo Esporte