Após bronca de presidente, São Paulo vence fácil no Morumbi

O resultado levou os brasileiros à liderança do grupo 2, com nove pontos ganhos em quatro jogos.

O presidente Juvenal Juvêncio não havia gostado da atuação do São Paulo na vitória por 2 a 0 sobre o Nacional-PAR, fora de casa, pela Copa Libertadores, criticando publicamente o desempenho da equipe após a partida. Os jogadores não gostaram da bronca e responderam derrotando novamente o adversário nesta quinta-feira, no Morumbi: 3 a 0, com gols de Dagoberto, Léo Lima e Washington.

O resultado levou os brasileiros à liderança do grupo 2, com nove pontos ganhos em quatro jogos. O Once Caldas-COL é o segundo colocado, com oito, seguido pelo Monterrey-MEX, com cinco. O time paraguaio ainda não pontuou na competição continental e é o lanterna da chave.

O jogo começou morno, com o Nacional muito retrancado, mantendo apenas Guillermo Beltrán à frente. O São Paulo chegou com perigo pela primeira vez aos 15min, quando Cléber Santana pegou sobra na área e chutou forte, mas para fora. Com o meio de campo pouco inspirado, o time tricolor esbarrava na marcação dos paraguaios.

Porém, aos 29min, a equipe da casa abriu o placar. Hernanes cruzou da direita e Dagoberto desviou de cabeça, jogando a bola no canto oposto e encobrindo o goleiro Caffa. Não deu nem tempo de o Nacional reagir: três minutos depois, Júnior César avançou pela esquerda e cruzou para Washington, que se atrapalhou com a bola e o goleiro, mas conseguiu tocar para Léo Lima finalizar de curta distância e fazer 2 a 0.

Com a vantagem no marcador, o São Paulo se soltou e passou a explorar os espaços. Aos 35min, Washington tentou tocar para Dagoberto, a bola bateu no zagueiro e sobrou para o camisa 9, que chutou com muito perigo para fora. Os visitantes ainda assustaram pouco antes do intervalo, quando Ramón Cáceres chutou de fora da área e acertou a rede pelo lado de fora.

O Nacional voltou mais ofensivo para o segundo tempo, com dois atacantes, mas quase sofreu o terceiro logo aos 2min. Léo Lima fez boa jogada pelo meio, mas bateu à esquerda do gol. Aos 9min, entretanto, não teve jeito: Dagoberto deu excelente passe para Richarlyson, que saiu na cara do gol, tocou para o meio na saída de Caffa e caiu. Sem goleiro, Washington veio de trás e só empurrou para deixar sua marca.

Enquanto os paraguaios erravam passes, o São Paulo tentava ampliar. Aos 16min, Cléber Santana chutou de fora da área, sem muito perigo. Dois minutos depois, Léo Lima levantou bola na área e Washington cabeceou para fora. O atacante protagonizou cena curiosa aos 26min, quando pediu para sair sinalizando problemas estomacais.

Quatro minutos depois de substituir Washington, Fernandinho quase marcou, após desviar de calcanhar uma cobrança de escanteio de Cicinho e acertar a trave. Aos 34min, Hernanes chutou de longe e a bola saiu por cima, com muito perigo. Logo depois, Fernandinho fez boa jogada pela esquerda e chutou cruzado, mas Caffa defendeu. O São Paulo dominou a partida até o apito final, mas não voltou a balançar as redes.

FICHA TÉCNICA

São Paulo 3 x 0 Nacional-PAR

Gols

São Paulo: Dagoberto, aos 29min, e Léo Lima, aos 32min do 1º tempo; Washington, aos 9min do 2º tempo

Ponto Forte do São Paulo

Paciência para trabalhar a bola e furar a retranca do adversário após os primeiros minutos

Ponto Forte do Nacional

Alguns chutes perigosos de fora da área

Ponto Fraco do São Paulo

Falta de pontaria nas finalizações de longe

Ponto Fraco do Nacional

Esquema muito defensivo, sobretudo no primeiro tempo, sem velocidade para explorar o contra-ataque

Personagem do jogo

Washington, que fez um gol, deu uma assistência e pediu para sair aparentando problemas estomacais

Esquema Tático do São Paulo

4-4-2

Rogério Ceni; Jean (Cicinho), Alex Silva, Miranda e Júnior César; Hernanes, Richarlyson (Rodrigo Souto), Léo Lima e Cléber Santana; Dagoberto e Washington (Fernandinho). Técnico: Ricardo Gomes

Esquema Tático do Nacional

3-6-1

Caffa; Piris, Miers e Herminio Miranda; Rojas (Arturo Aquino), Mazacotte (Víctor Aquino), Irala, Cáceres, Paniagua e Riveros; Beltrán (Bordon). Técnico: Ever Almeida

Cartões amarelos

São Paulo: Rodrigo Souto

Nacional: Riveros

Árbitro

Darío Agustín Ubriaco (URU)

Local

Estádio do Morumbi, São Paulo (SP)

Público

31.411 pagantes

Fonte: Terra