Após tentar renovação, Fred deixa porta de saída entreaberta no Flu

Após tentar renovação, Fred deixa porta de saída entreaberta no Flu

Titular absoluto da Seleção, camisa 9 se valoriza e pede mais de 50% de aumento no salário de R$ 900 mil e ampliação do vínculo por três anos

Convocado nesta quarta-feira para vestir a camisa 9 da seleção brasileira na Copa do Mundo no Brasil, Fred vê sua cotação aumentar no mercado da bola desde a Copa das Confederações do ano passado. Titular absoluto de Luiz Felipe Scolari e um dos líderes do grupo que tentará o hexacampeonato, o atacante também ganha poder de negociação no Fluminense. Aos 30 anos, o jogador tenta renovar o contrato com o Tricolor e a patrocinadora desde o ano passado, só que as partes ainda não chegaram a um acordo. O vínculo atual termina só em dezembro de 2015, mas a confirmação da participação dele no Mundial traz o tema novamente à tona.

Segundo o GloboEsporte.com apurou, foi de Fred o passo inicial das rodadas de negociações. O jogador, que recebe 80% do salário de R$ 900 mil da Unimed, pediu mais de 50% de aumento e manifestou o interesse de esticar a permanência no Fluminense até o fim de 2018, quando terá 33 anos. Ele e o presidente Peter Siemsen conversaram nos últimos dias de novembro passado, durante um jantar num restaurante da Zona Sul do Rio. Naquele momento, o clube sofria com o forte risco de queda para a Segunda Divisão, mas o atacante, já consolidado como camisa 9 do Brasil, teria dito que permaneceria mesmo em caso de rebaixamento. Ao fim da temporada, despertou o interesse do Cruzeiro, mas não houve avanço.

A proposta de Fred foi debatida internamente ainda em 2013 e encontrou certa resistência, apesar de Peter mostrar-se favorável. O longo tempo de contrato, mais três anos e com altíssimos valores, gerou questionamentos nos bastidores do clube. Entre os argumentos dos que foram contra, a idade do jogador e o histórico de lesões. Além disso, o Fluminense tem ciência de que nenhuma equipe brasileira, e até de fora do país, pagaria tanto a um jogador com o perfil de Fred. Para se ter uma ideia, Neymar recebia cerca de R$ 3 milhões por mês no Santos antes de ir para o Barcelona, praticamente tudo bancado por patrocinadores.

Um dia antes de ser exonerado do cargo, o vice de futebol do clube, Ricardo Tenório, afirmou que não há neste momento qualquer tipo de movimento do clube para discutir a permanência do capitão da equipe. Com mais um ano e meio de vínculo, Fred só poderá assinar um pré-contrato com outro clube na metade de 2015, seis meses antes do fim do acordo atual.

- Não temos discutido nada nesse sentido. No momento, estamos tratando dos casos dos jogadores em fim de contrato em dezembro ? disse Tenório.

Nesta quinta-feira, o novo vice de futebol, Mário Bittencourt, apresentou Paulo Angioni como novo diretor de futebol. Questionado sobre a situação de Fred, Angioni disse que ela precisa ser estudada.

- O Fred é uma das grandes referências do Fluminense. É uma idolatria aqui. E temos de respeitar muito isso. As propostas, obviamente, para todos os bons jogadores sempre existem, ainda mais diante de um bom aproveitamento numa Copa. O Fluminense precisa, enquanto instituição, estar preparado para estes assédios. E entender o quanto é importante a manutenção dele. Temos de estar preparados para contrapor todas as investidas que podem vir a acontecer - frisou.

Na última quarta-feira, após a confirmação de que estará em sua segunda Copa do Mundo (foi reserva em 2006, na Alemanha), o camisa 9 voltou a responder sobre a possibilidade de deixar o país em caso de bom desempenho. E não descartou.

- Qualquer bom desempenho, no maior evento do futebol, a Copa, te valoriza. Tenho um ano e meio de contrato. Tem de ver se é interessante ao clube e à Unimed renovar o meu contrato. Se há algum momento bom para o clube fazer algo, esse momento pode ser agora. Mas nada impede de que ficar também desde que haja acerto entre as três partes. Mas pode ser um momento bom para o Fluminense fazer uma boa grana ? afirmou.

Não é de agora que Fred deixa a porta de saída entreaberta no Fluminense. Se antes considerava ficar nas Laranjeiras até o fim da carreira, o atacante em mais de um momento da passagem pelo Tricolor, que começou em 2009, acenou com a possibilidade de retorno ao futebol europeu, principalmente quando enfrentou dificuldades na relação com os tricolores. A última vez foi no mês passado, no auge da crise com torcidas organizadas do clube. Em entrevista a um jornal italiano, afirmou que vê ?com bons olhos um regresso à Europa?.

Centroavante da seleção para a Copa do Mundo do Brasil, Fred foi bem na campanha do título da Copa das Confederações e despertou interesse dos europeus. O jogador, que defendeu o Lyon, da França, de 2005 a 2009, confirmou um contato do Inter de Milão após a competição, além de outras sondagens anteriores, embora tenha negado a existência de qualquer oferta mais concreta.

O mesmo ocorreu em 2010, ano em que renovou seu contrato com o Fluminense. Um dos objetivos do Tricolor era se proteger do assédio de equipes do futebol europeu, como o Napoli, que demonstrou interesse no atacante. Fred chegou a declarar que assinaria um contrato vitalício com o Fluminense, o que é impossível diante da Lei Pelé ? máximo de cinco anos. Naquela ocasião, assim como hoje, não houve proposta oficial dos italianos.

Fonte: Globo Esporte