Por 4 a 0, Argentina goleia Equador pelas eliminatórias da Copa

Por 4 a 0, Argentina goleia Equador pelas eliminatórias da Copa

Craque do Barcelona, Messi, faz um e participa de outros três gols na vitória por 4 a 0 sobre o Equador.

Não foi uma noite de sábado fácil para o Equador. Além de um Messi inspiradíssimo ? como nos jogos do Barcelona -, os equatorianos tiveram pelo frente um ataque formado por Higuían, Aguëro e Di Maria ? todos afim de futebol. Com isso, em noite de belas jogadas e gols sensacionais, a Argentina goleou por 4 a 0 no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, assumiu a liderança isolada das eliminatória sul-americanas e se encheu de moral para o amistoso contra a seleção brasileira, no próximo sábado, em Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Messi, principalmente no primeiro tempo, fez de tudo um pouco. Driblou, arrancou, finalizou e armou. O argentino iniciou a jogada do gol de Agüero, deu a assistência para Higuaín marcar o segundo e fez o terceiro, em uma jogada que começou com uma arrancada do craque do campo de defesa da Argentina.Todos, na primeira etapa. No quarto, já no segundo tempo, inicou a arrancada que resultou no golaço de Di Maria. A torcida argentina reconheceu a atuação de seu camisa 10, que foi ovacionado no estádio do River Plate.

A exibição de gala rendeu à Argentina a liderança. A equipe de Alejandro Sabella chegou a dez pontos e superou Chile, Uruguai e Venezuela, que estavam à frente na tabela antes do jogo. Os chilenos ocupam a segunda posição com nove pontos. Uruguai e Venezuela, que empataram neste sábado, têm oito.

Hermanos assustadores

Bastou a bola rolar para perceber que Lionel Messi estava afim de jogo. Com direito a caneta, dribles e arrancadas, o argentino logo apresentou seu vasto repertório de jogadas. Um pouco mais recuado do que o normal, o camisa 10 assumiu a armação da Argentina e passou a distribuir passes preciosos para Gonzalo Higuaín e Sérgio Agüero. Ele, no entanto, não estava sozinho. Em noite inspirada, Di Maria foi um excelente coadjuvante para o craque do Barcelona no setor de meio de campo.

Com tanto talento reunido em campo, o Equador se intimidou, a medida que a Argentina avançava, pressionava e balançava as redes. Com expressões assustadas, os equatorianos não conseguiam parar o ataque argentino e muito menos ameaçar o goleiro Romero.

Logo nos minutos iniciais, em dividida na área, Agüero foi atingido no peito por Quiñónez. Enlouquecido, o atacante do Manchester City pediu pênalti, e a torcida fez coro no Monumental. O árbitro, porém, mandou o lance seguir. O gol, porém, não demorou a sair. Aos 19, após receber de Messi, Di Maria achou Agüero livre na área. Em posição irregular, o atacante chutou cruzado para abrir o placar.

O gol incendiou o Monumental de Núñez e o time argentino. Messi tentou uma, duas, três arrancadas.

Em todas levou a melhor sobre a defesa do Equador, mas falhou nas conclusões. Na quarta tentativa, o camisa 10 arrancou em meio a quatro equatorianos. Deixou todos para trás e achou Higuaín livre para ampliar em chute cruzado.

A torcida argentina ainda comemorava o segundo gol quando Messi protagonizou o ponto alto da noite. Após desarme de Mascherano na intermediária da Argentina, Messi recebeu a bola atrás da linha de meio de campo e arrancou. O craque levou a bola até a entrada da área, tabelou com Higuaín e chutou forte de primeira para assinar uma pintura no Monumental de Núñez: 3 a 0.

A facilidade era tamanha, que aos 30 minutos da etapa inicial, todo o estádio gritava ?olé?. Sem muito o que fazer, o técnico Reinaldo Rueda trocou o meia Saritama pelo atacante Jaime Ayoví ainda no primeiro tempo.

Argentina pisa no freio. Messi, não

Na volta do intervalo, pouco mudou nos minutos iniciais. Logo em sua primeira jogada na etapa derradeira, Messi arrancou com liberdade e descolou um passe sensacional para Agüero na área. O atacante do Manchester City driblou o goleiro e caiu pedindo pênalti. O árbitro demorou a tomar uma decisão mas, após ouvir o auxiliar, puniu o argentino com cartão amarelo por simulação.

Com a vitória mais do que garantida, a Argentina pisou no freio. Sem forças para reagir, o Equador até passou a ter mais a bola, mas não conseguiu levar perigo ao gol de Romero. O único lance interessante foi uma cabeçada de Ayoví rente à trave.

A Argentina tirou o pé, mas Messi não. Antes do apito final, o camisa 10 ainda deliciou os torcedores presentes no Monumental com mais duas de suas arrancadas. Na primeira, grudou a bola no pé no meio de campo e levou até a área adversária, ignorando os equatorianos que tentaram impedi-lo. Na conclusão, chutou rente ao travessão. Um pecado!

No lance seguinte, nova pintura. Em mais uma arrancada, dessa vez pela direita, Messi enfileirou toda a defesa equatoriana e chutou. A bola explodiu na zaga, mas Sosa pegou o rebote e cruzou na medida para Di Maria acertar um petardo de primeira da entrada da área. No fim, o craque do Barcelona ainda tentou um golaço por cobertura, mas os deuses do futebol devem ter achado que era exagero para uma noite de futebol, e a bola passou a centímetros do gol.

Fonte: GloboEsporte