Atlético-MG vence e lidera Brasileirão

Na próxima rodada, o Galo encara o Santos, domingo, na Vila Belmiro

Foi uma tarde de domingo perfeita no Mineirão, principalmente para a torcida atleticana que compareceu em bom número nas arquibancadas. Com um homem a menos desde os dez minutos do primeiro tempo, o Atlético-MG bateu o Náutico por 3 a 0, e assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro com 14 pontos - o Internacional enfrentou o Vitória, no Beira-Rio, e empatou sem gols. A equipe alvirrubra, que foi comandada pela primeira vez pelo técnico Márcio Bitencourt, caiu para a sétima posição, com oito pontos.

Na próxima rodada, o Galo encara o Santos, domingo, na Vila Belmiro. Enquanto o Timbu recebe o Coritiba, sábado, nos Aflitos. Ambos os jogos às 18h30m (horário de Brasília).

Desde 2003, quando foi inaugurada a era dos pontos corridos, o Atlético-MG não fazia um início de campanha tão bom quanto este. E naquela época, o técnico também era Celso Roth.

Não foi um bom começo de trabalho para Márcio Bittencourt no Timbu. Além de não poder dirigir a equipe do gramado, por contra de uma suspensão quando ainda dirigia o Santa Cruz, o técnico viu seu time perder dois jogadores expulsos e ser derrotado.

Com menos de um minuto de jogo, o Atlético mostrou porque canta de galo no Mineirão. Márcio Araújo arriscou de fora da área, assustando o goleiro Eduardo. Porém, um lance despretensioso, aos dez, prejudicou a equipe mineira. Em uma disputa de bola, no meio-campo, o lateral Thiago Feltri entrou de carrinho em Aílton e foi expulso. Assim, Diego Tardelli foi recuado para a meia-cancha, deixando apenas Éder Luís na frente.

Um minuto depois, Diego Tardelli ficou no mano a mano com Gladstone, invadiu a área e rolou para quem vinha de trás. Márcio Araújo chegou atrasado. Aos 13, não teve jeito. Após o cruzamento na área, Diego Tardelli deu um toque magistral de calcanhar. O experiente Júnior, em posição legal, apareceu no segundo pau e completou para o fundo da rede, abrindo o placar para o Galo ? os jogadores do Náutico pressionaram a auxiliar Ticiana de Lucena Falcão Martins pedind, em vão.

Mesmo com um jogador a mais, o Náutico não conseguia achar os espaços e pouco ameaçava. Aos 17, Renan arriscou da intermediária, levantando mais uma vez a torcida atleticana. Aos 23, Tardelli roubou de Gladstone, penetrou na área, tirou de Vágner Silva, mas foi travado na hora de finalizar. A insegurança da retaguarda alvirrubra era evidente.

A partir dos 25, o Náutico passou a atacar com mais vontade. Porém, o Galo respondia à altura. Anderson Santana desceu pela esquerda e cruzou no segundo pau. Carlinhos Bala desviou de cabeça, mas Sidny finalizou sobre o gol de Aranha. Antes de encerrar a primeira etapa, Carlos Alberto chutou cruzado, e Eduardo segurou.

Náutico perde dois jogadores e Galo aproveita

Quando as equipes voltaram do intervalo com as mesmas formações que iniciaram, um detalhe chamou a atenção. Os jogadores do Atlético fizeram uma breve reunião, todos abraçados, mostrando que o time está unido. Com quatro minutos, Carlinhos Bala recebeu na área e chutou cruzado. Aranha segurou. Na seqüência, o baixinho do Timbu cobrou falta para a área. Gladstone cabeceou firme, e Aranha defendeu com os pés.

Se no primeiro tempo o árbitro expulsou Thiago Feltri aos dez minutos, na etapa complementar tirou outro jogador, mas desta vez aos cinco. Depois do lance perigoso na área do Atlético, o zagueiro Vágner Silva disputou de carrinho e foi para o chuveiro mais cedo, deixando o Náutico também com dez homens em campo ? em mais de 80 jogos pelo Alvirrubro, esta foi a primeira vez que o beque levou um cartão vermelho.

Aos oito, Júnior arriscou da ponta esquerda, e Eduardo espalmou. Em seguida, Diego Tardelli recebeu na entrada da área e girou finalizando. A bola saiu com perigo, por cima da meta. A torcida do Galo voltou a pular e cantar na arquibancada do Mineirão. Aos 12, Tardelli desceu pela esquerda e cruzou, do limite da linha de fundo. Éder Luís fechou no segundo pau, mas a cabeça de Asprilla salvou o Timbu. Era um bombardeio mineiro. Júnior recebeu na entrada da área e fuzilou, Eduardo espalmou mais uma vez.

Acuado, mas precisando atacar, o técnico Márcio Bittencourt tirou o meia Aílton e pôs o centroavante Kuki. Se a equipe pernambucana passava sufoco, a situação piorou ainda mais, aos 15. Derley deu um carrinho violento em Renan e também levou cartão vermelho. O segundo gol do Atlético-MG era questão de tempo. Aos 18, Júnior cobrou falta para a área. A zaga alvirrubra ficou olhando, e Diego Tardelli, de peixinho, escorou para o fundo da rede.

O Atlético-MG passou a jogar fácil, como um coletivo de luxo. Márcio Araújo, Éder Luís, Júnior e Diego Tardelli abusaram de perder gols. Aos 38, o Galo chegou ao terceiro. Márcio Araújo tabelou com Kléber, que substituiu Éder Luís, recebeu na área e bateu rasteiro, no canto de Eduardo. Abatido, o Náutico procurou evitar uma goleada. Tchô ainda acertou a trave, quase marcando o quarto gol atleticano.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com