Banida da natação por doping, Rebeca Gusmão, quer ser mãe

Banida da natação por doping, Rebeca Gusmão, quer ser mãe

Aos 28 anos, casada com o cantor lírico Gutemberg Amaral, Rebeca revela que essa paixão por crianças não se resume à vontade de ajudar as que precisam

Ainda recuperando-se da grave depressão provocada pela condenação por doping e posterior banimento do esporte, em 2009, a ex-nadadora Rebeca Gusmão conta que não desistiu de provar sua inocência. Está apenas aguardando o momento certo para dar o próximo passo neste sentido.

? Existe uma nova guerra para ser começada. Mas, para ir à guerra, a gente tem que estar bem, forte. Meu advogado me disse: ?Deixa que eu cuido disso e vai viver sua vida?. Então, estou fazendo isso. Quando ele falar: ?Está tudo pronto. Está pronta pra ir pra guerra??, eu tenho que estar pronta. Enquanto isso, é aproveitar ? afirma ela, ressaltando qual é seu objetivo principal: ? Mostrar a verdade do que aconteceu. As pessoas têm que saber o que houve de verdade. Não o que foi falado, o que foi publicado, o que elas leram. Quero ter o direito de processar as pessoas, órgãos, entidades que me expuseram de forma ridícula. E a minha vontade hoje é, com o dinheiro, ajudar muita gente. Tenho uma paixão muito grande por criança e por idoso. Se eu pudesse construir um orfanato, um asilo...

Aos 28 anos e casada com o cantor lírico Gutemberg Amaral, Rebeca revela que essa paixão por crianças não se resume à vontade de ajudar as que precisam: ela quer ser mãe.

? Ter filhos é o sonho de toda mulher. É um projeto, com certeza. Tenho planos para o ano que vem, se Deus quiser. Depois das eleições, quem sabe?

Filiada ao PCdoB, partido pelo qual disputou sem sucesso a vaga de deputada distrital em 2010, a ex-nadadora ainda não sabe se disputará o cargo novamente:

? Existe um projeto dentro do partido, mas ainda temos que fechar se vou ser candidata ou não. Se não for, vou apoiar os candidatos do meu partido. Se eu for, será uma luta muito grande, campanha é praticamente 24 horas por dia. Mas essa decisão só deve sair em abril.

Fonte: Extra