Bola de Ouro tem Neymar pela 2ª vez; Messi e CR7 são favoritos

A divulgação dos nomes dá início ao processo de votação, do qual participam capitães e técnicos de todas as seleções filiadas à Fifa e jornalistas

A France Football, parceira da Fifa na organização da Bola de Ouro, divulgou nesta segunda-feira a lista dos 23 jogadores que disputam o título de melhor do mundo de 2012. Se os favoritos ao prêmio continuam sendo Messi e Cristiano Ronaldo, Neymar pode ao menos ainda sonhar com a premiação, já que pelo segundo ano seguido o jogador do Santos é o único atleta que atua na América do Sul lembrado pela entidade.

A divulgação dos nomes dá início ao processo de votação, do qual participam capitães e técnicos de todas as seleções filiadas à Fifa e jornalistas selecionados pela revista France Football, parceira da entidade no prêmio. A lista com os 3 finalistas será divulgada em uma cerimônia em São Paulo, em 29 de novembro, e o vencedor será premiado na festa anual da Fifa em Zurique, na Suíça, em 7 de janeiro.

Mesmo sem ter repetido a conquista da Libertadores que o consagrou em 2011, Neymar segue impressionando os europeus. Além de ser o único brasileiro lembrado pelo colegiado da Fifa que fez a pré-lista, o santista é um dos dois que não atua na Europa. Desta vez, Neymar só não foi o único, como aconteceu no ano passado, porque Didier Drogba mudou-se do Chelsea para o Shangai Shenhua, da China, e mesmo assim foi lembrado.

Historicamente a eleição da Fifa costuma ignorar jogadores que não atuam na Europa, o que faz de Neymar uma exceção histórica no prêmio. As chances do brasileiro, no entanto, devem ser ainda menores que no ano passado, quando ele terminou como o décimo melhor do mundo. Mais uma vez, os protagonistas da eleição devem ser Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, que ganharam as quatro edições mais recentes do prêmio (o argentino ganhou as três últimas de forma consecutiva).

Como Messi e o Barcelona pararam na semifinal da Liga dos Campeões neste ano, Cristiano Ronaldo entra, teoricamente, em uma condição de maior igualdade que em temporadas recentes. Uma quarta conquista colocaria o argentino como o maior vencedor do prêmio da Fifa, somando as edições em que entidade fazia a escolha independentemente (de 1991 a 2009) e as que organizou em parceria com a France Football (de 2010 até agora).

Até o momento, só ele, Zinedine Zidane e Ronaldo conquistaram o prêmio três vezes, sendo que nem o francês nem o brasileiro o fizeram de forma consecutiva. Cristiano Ronaldo, por sua vez, conseguiria o seu segundo título pessoal e o terceiro de seu país, já que Luis Figo foi premiado em 2001, quando atuava pelo Real Madrid.

Além deles, também devem brilhar os destaques da Espanha, bicampeã europeia. Xavi e Iniesta lideram a lista de sete indicados da seleção que atualmente domina o futebol internacional. A seleção que mais se aproxima em número de indicações é a Itália, que teve Balotelli, Buffon e Pirlo lembrados, contra dois cada de Alemanha e Argentina. Ao todo, só quatro sul-americanos foram lembrados: Neymar, Lionel Messi, Sergio Aguero (Manchester City) e Radames Falcão (Atlético de Madri).

A France Football e a Fifa também divulgaram os finalistas para o prêmio de melhor técnico. Vicente del Bosque (Espanha), Roberto di Matteo (Chelsea), Alex Ferguson (Manchester United), Pep Guardiola (Barcelona), Jupp Heynckes (Bayern de Munique), Jurgen Klopp (Borussia Dortmund), Joachim Low (Alemanha), Roberto Mancini (Manchester City), José Mourinho (Real Madrid) e Cesare Prandelli (Itália) estão na disputa.

Fonte: G1