Timão: Adriano contabiliza cinco gols em sete estreias na carreira

A fama de Imperador começou a ser construída na Itália assim que ele desembarcou no Inter de Milão

Adriano não terá muito tempo para jogar contra o Atlético-GO, neste domingo, às 18h, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro, mas tem em seu histórico um número positivo em estreias. No primeiro jogo pelos seis clubes que defendeu m

ais a Seleção Brasileira, o Imperador fez cinco gols. Esperança para a Fiel em um Pacaembu lotado no dia que o Timão poderá voltar à liderança da competição.

Em 2000, o garoto recém-promovido das categorias de base não conseguiu deslanchar desde a estreia. No dia 2 de fevereiro, Adriano entrou no segundo tempo do empate por 2 a 2 entre Flamengo e Botafogo, no Maracanã, pelo Torneio Rio-São Paulo, e não balançou as redes. Entretanto, anotaria o primeiro na partida seguinte, num 5 a 2 diante do São Paulo, no Morumbi. No mesmo ano, seria convocado para a Seleção Brasileira, mas não marcaria na vitória por 1 a 0 sobre a Colômbia, dia 15 de novembro, pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

A fama de Imperador começou a ser construída na Itália assim que ele desembarcou no Inter de Milão. Colocado em campo nos minutos finais do segundo tempo, Adriano fez um golaço de falta que deu ao clube azul e preto a vitória por 2 a 1 sobre o Real Madrid e o título do torneio Santiago Bernabéu, dia 14 de agosto de 2001, na casa do adversário.


Bom sinal: Adriano contabiliza cinco gols em sete estreias na carreira

Apesar do sucesso repentino, o atacante foi emprestado para ganhar experiência e não decepcionou no Fiorentina. Logo na estreia, em 13 de janeiro de 2002, fez um dos gols no empate por 2 a 2 contra o Chievo, pelo Campeonato Italiano. Na temporada seguinte, ainda em 15 de setembro de 2002, fez mais um por um novo clube, o Parma: empate por 1 a 1 diante do Udinese.

Depois de problemas na Itália, Adriano tentou se reencontrar no Brasil atuando pelo São Paulo. O título da Libertadores não veio, mas, mesmo em meio a novas confusões fora de campo, o Imperador teve um bom desempenho. A estreia foi com os dois gols na vitória por 2 a 1 sobre o Guaratinguetá, pelo Paulista, dia 17 de janeiro de 2008.

A passagem pelo Brasil não surtiu grandes mudanças no comportamento de Adriano. Após pedir seu desligamento do Inter e passar novamente pelo Flamengo, o Imperador tentou se reerguer no Roma, mas não conseguiu. O primeiro jogo, como todos os outros, foi apagado: em 21 de agosto de 2010, o clube da capital italiana perdeu o título da Supercopa da Itália para o Inter ao ser batido por 3 a 1.

Adriano não esconde que não está em sua melhor forma. O jogador admitiu, em entrevista coletiva na sexta-feira, que ficará no banco de reservas tendo apenas 20% de sua condição. Mesmo assim, ele não esconde o desejo de marcar. O último gol dele foi em 20 de maio do ano passado, na vitória do Flamengo por 2 a 1 sobre o Universidad de Chile, pelas quartas de final da Taça Libertadores.

- Se tiver oportunidade, posso desequilibrar a partida. Claro que não tenho condições de correr atrás de um zagueiro, de poder disputar uma bola mais forte. Mas, se me derem a bola na frente do gol, vou fazer de tudo para ajudar a equipe ? disse.

Fonte: Globo Esporte