Botafogo vence Ceará no Rio e segue no G-4

Botafogo conseguiu furar o sistema defensivo do Ceará e conquistar a quinta vitória consecutiva

No duelo entre um dos melhores ataques do Brasileirão-2010 e a defesa menos vazada, prevaleceu a força ofensiva. Apesar de não jogar bem e criar pouco para uma equipe que marcou 27 gols em 16 rodadas, o Botafogo conseguiu furar o sistema defensivo do Ceará e conquistar a quinta vitória consecutiva na competição: 1 a 0, nesta quarta-feira, no Engenhão.

Jobson, aos cinco minutos do segundo tempo, fez o gol que garantiu o Alvinegro carioca na terceira colocação do Nacional, com 27 pontos. Com a derrota, o time cearense deixou o G-4, caindo da quarta posição para a sétima (24 pontos).

As duas equipes voltam a campo no sábado. O Botafogo vai a Porto Alegre desafiar o Internacional no Beira-Rio. O Ceará recebe o Grêmio Prudente no Castelão. Os dois jogos começam às 18h30m (de Brasília).

Em relação ao time que superou o Avaí no último sábado (1 a 0), Joel Santana fez apenas uma mudança na formação titular do Alvinegro carioca: o retorno à ala direita de Alessandro, que estava suspenso, com Somália no meio. Do lado do visitante, Mário Sérgio manteve Geraldo no banco de reservas, apesar do meia ter feito o gol da vitória sobre o Grêmio (2 a 1), também no sábado.

E foi Alessandro que criou a primeira chance para o time da casa. O ala interceptou um passe de Diego Sacoman aos três minutos e fez bom lançamento para Herrera. Mas o argentino não conseguir dominar a bola. O lado direito foi a principal alternativa de ataque do Alvinegro carioca no primeiro tempo. Mas a marcação da equipe com a defesa mais eficiente do Brasileirão dificultava a criação de jogadas do anfitrião. Que, muitas vezes, apelou para bolas centradas na área. Facilmente rebatidas pelos adversários.

O Botafogo só voltou a ameaçar aos 19 minutos. Maicosuel acionou Antônio Carlos na área. Como uma ponta-direita, o zagueiro cruzou para Jobson, que, quase em cima da linha, furou. Para a sorte do atacante, a jogada já estava anulada por impedimento (veja no vídeo acima). Aos 32, os mesmos personagens criaram uma outra boa jogada. Maicosuel roubou a bola pela esquerda e passou para Jobson. O atacante foi derrubado na meia-lua, mas a bola sobrou para Antônio Carlos. O zagueiro invadiu pela direita e chutou cruzado, perto da trave direita.

Mas só aos 46, o time da casa conseguiu concluir com acerto a gol, quando Jobson recebeu no bico da área pela esquerda, cortou para o meio e chutou. O goleiro Diego rebateu.

Bem postado defensivamente, o clube visitante só ameaçou uma vez na primeira etapa. Aos 11, Washington escapou pela esquerda e encontrou Camilo na área. O camisa 7 dominou na marca do pênalti, mas se atrapalhou com a bola e foi desarmado por Marcelo Mattos.

Para o segundo tempo, apesar das dificuldades na primeira etapa, Joel Santana optou por não alterar o Botafogo, mantendo Marcelo Cordeiro e Herrera, vaiados pela torcida. E com cinco minutos, a torcida teve motivos para sorrir. Graças em boa parte ao argentino. Após lançamento do campo de defesa, Herrera dominou na altura do círculo central e deu bom passe para Jobson. O atacante arrancou, invadiu a área e tocou na saída do goleiro Diego, mandando a bola no canto esquerdo: 1 a 0.

Dois minutos após ver seu time sofrer o gol, Mário Sérgio tentou dar uma postura mais ofensiva ao Ceará, com Geraldo no lugar de Michel. O time visitante passou a rondar mais a área adversária. O goleiro Jefferson foi exigido aos 25, quando teve que cortar com o pé direito antes que o zagueiro Fabrício completasse na pequena área (no vídeo ao lado).

Em vantagem, o Bota recuou e passou a esperar uma oportunidade para sair no contra-ataque. Para isso, Joel Santana tentou dar mais velocidade ao time e mandou o atacante Caio a campo no lugar de Alessandro aos 21. Sete minutos depois, escalou Loco Abreu e tirou Herrera. No minuto anterior, Marcelo Cordeiro perdeu uma chance incrível na pequena área, cabeceando para fora após centro de Somália.

Aos 41, por muito pouco o Botafogo não foi castigado por ter recuado. Magno Alves driblou três adversários e chutou travado. A bola passou rente à trave direita de Jefferson. O goleiro, aos 44, ainda precisou se esticar para defender uma conclusão do experiente atacante, que desviou em Leandro Guerreiro. Diante da pressão cearense nos minutos finais, o Botafogo conseguiu se defender. E o apito final foi comemorado pela torcida no Engenhão.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com