Brasil está na final do mundial sub 20

Gol de Alan Kardec coloca o Brasil na final do Mundial Sub-20 contra Gana

 Mesmo sem ser brilhante e criando pouco, o Brasil conseguiu passar pela Costa Rica por 1 a 0 nesta terça-feira, na semifinal do Mundial Sub-20, e se garantiu pela sétima vez na decisão do torneio. O rival será Gana, sexta-feira, às 15h (de Brasília). O gol do alívio saiu do pé direito de Alan Kardec, aos 21 minutos do segundo tempo, e deixou a seleção a um passo do pentacampeonato mundial.

<br><img src="http://static.meionorte.com/uploads/imagens/carmemdea/102009/b7ca70e5a5a1975cd6b7ed96271acf0d.jpg" width="255" height="180" /><br>

Para isso, terá que vencer na final novamente Gana, que mais cedo bateu a Hungria por 3 a 2. Em 1993, o Brasil foi campeão sobre os africanos: 2 a 1. Brasil e Gana decidem o Mundial na sexta-feira, às 15h (de Brasília).

É verdade que a Costa Rica entrou em campo com o intuito de se defender, mas o Brasil também não mostrava qualidade para ultrapassar a barreira de zagueiros. Faltava velocidade tanto na troca de passes quanto no deslocamento em campo. As três maiores fontes de talento do time - Alex Teixeira, Giuliano e Paulo Henrique Ganso - eram facilmente anuladas pelos adversários. Alex jogava muito afastado da área e ao se aproximar não acertava o passe.

Giuliano corria, mas pouco produzia. E Ganso, sumido, só criou um lance de perigo aos 42 minutos. Depois de belo drible em Madrigal, ele tocou para Giuliano na entrada da área. O meia ajeitou de primeira e Souza chutou com perigo à direita do gol. A rigor, esta foi a melhor chance do Brasil no primeiro tempo. Já a Costa Rica, mesmo com menos posse de bola e chegando só em contra-ataques, quase marcou por duas vezes.

Na primeira, aos 15 minutos, Guzman soltou uma bomba em cobrança de falta e Rafael fez uma defesa espetacular, voando no ângulo esquerdo para mandar para escanteio. Na segunda, aos 44, Urena e Martinez foram tabelando em velocidade e, da entrada da área, Urena bateu forte, no canto esquerdo, para outra boa defesa de Rafael. E fora algumas bolas levantadas na área, nenhuma levando perigo ao gol da Costa Rica, a seleção não fez mais nada.

Um 0 a 0 insosso no primeiro tempo, bem do jeito que a Costa Rica queria. Ag./Reuters Um dos destaques do Brasil no Mundial, Alex Teixeira tenta roubar a bola No segundo tempo, o Brasil permaneceu com dificuldades na criação, mas mesmo assim conseguiu levar mais perigo. Aos 3 minutos, Ganso tabelou com Giuliano no bico da área e chutou forte, mas Alvarado, bem colocado, fez a defesa. A Costa Rica respondeu aos 7, quando Varela mandou uma bomba que passou bem perto da trave direita de Rafael. No minuto seguinte, a primeira grande chance brasileira.

Giuliano brigou, quase caiu, mas conseguiu passar pelo marcador. Avançou pela linha de fundo e cruzou rasteiro para o meio da área. Souza dominou já cortando o zagueiro e bateu cara a cara com Alvarado, mas o goleiro salvou o gol com a mão esquerda. Aos 18, Giuliano fez ótima invertida de bola para Ganso. O meia carregou e serviu Alan Kardec, que na hora do chute, na meia-lua, foi travado pelo zagueiro.

Finalmente aos 22, saiu o gol brasileiro. Bertucci cruzou da esquerda, a bola raspou na cabeça de Alex Teixeira, quase na pequena área, e encontrou o pé direito de Alan Kardec. No segundo pau, mesmo com pouco ângulo, ele mandou uma bomba de primeira para tirar o Brasil do sufoco: 1 a 0.

O Brasil diminuiu o ritmo e criou poucas chances. A melhor delas, uma falta de longe cobrada por Souza, aos 38, que passou perto do travessão de Alvarado. A Costa Rica, mesmo perdendo, parecia conformada, satisfeita até, pela derrota por apenas um gol e pouco se abriu. Ainda assim, chegou a alguns centímetros do empate em falta cobrada por Guzman que passou rente à trave esquerda do gol brasileiro. A atuação bem abaixo do que o Brasil pode produzir foi o suficiente para a vitória contra a Costa Rica. E tomara que o bom futebol tenha ficado guardado para sexta-feira, na decisão contra Gana.

Fonte: GloboEsporte