Brasil sofre, bate os tchecos e fica perto da semifinal

Brasil sofre, bate os tchecos e fica perto da semifinal

Brasil sofre, mas joga para ganhar, bate os tchecos e fica perto da semi

Desta vez, era para ganhar. A seleção brasileira entrou na Arena de Roma nesta segunda-feira para abrir a terceira fase do Mundial de vôlei e apagar a má impressão deixada após o ?jogo da vergonha? contra a Bulgária. Ainda sob vaias, a equipe verde-amarela sofreu e carregou a valente República Tcheca até o tie-break, mas mostrou outra disposição, arrancou a vitória e ficou perto das semifinais. O triunfo veio com parciais de 25/20, 22/25, 23/25, 25/21 e um arrasador 15/8. Apesar dos altos e baixos na partida, os comandados de Bernardinho levantam a cabeça e pegam embalo para o jogo de quarta-feira, contra a Alemanha, último obstáculo antes da próxima fase.

Com a ansiedade em alta após a polêmica que se arrastava desde sábado, quando jogou sem vontade e perdeu para os búlgaros, o Brasil esteve tenso e errou mais que o normal nesta segunda. Mas contou com mais uma grande atuação de Murilo, maior pontuador com 25, além de performances sólidas de Dante e Rodrigão, para voltar ao trilho das vitórias. O jogo marcou ainda a estreia do levantador Marlon, recuperado de problemas intestinais.

Alemanha e República Tcheca se enfrentam na terça, às 12h, e o Brasil volta à quadra na quarta, no mesmo horário, para fechar a terceira fase contra os alemães. O SporTV transmite a partida ao vivo. Satisfeito com a vitória, Bernardinho não deixou de fazer suas cobranças:

- O Brasil vai viver pressão sempre. É o mundo inteiro querendo ganhar da gente. Hoje senti a tensão em alguns garotos, outros seguraram melhor, é aí que os mais experientes têm que aparecer. Foi uma equipe de altos e baixos. Fomos voluntariosos, mas bobeamos um pouco. A ansiedade era grande e os erros se sucederam. É importante que tenhamos atenção sempre - afirmou o técnico, em entrevista.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com