Brasil vence " jogo treino" com Estônia à espera da Argentina pelas Eliminatórias

O estádio, com menos de 10 mil pessoas, lembrava até a África do Sul na Copa das Confederações

Tecnicamente, um teste fácil para a seleção brasileira, líder do ranking da Fifa, contra a 112ª colocada, antes de pegar a Argentina, dia 5 de setembro, pelas eliminatórias. O time de Dunga venceu a Estônia por 1 a 0 nesta quarta-feira, em Tallin, em um bom exercício para encarar as travas das chuteiras adversárias, mas também para aprender a evitar "dar o troco".

O amistoso parecia que seria festa. O estádio, com menos de 10 mil pessoas, lembrava até a África do Sul na Copa das Confederações: o som de cornetas embalava os torcedores. Mas a partida, classificada pelos donos da casa como ?Jogo do Século?, teve clima de guerra e lances violentos. Dos dois lados.

Quando Kaká levou um carrinho de Dmitrijev, Robinho discutiu feio com os rivais e quase que os jogadores se agrediram. Em seguida, Kleberson teve que deixar a partida com uma luxação no ombro direito. Lucio levou cartão amarelo ao dar o troco. Luis Fabiano, autor do gol, reclamou muito no intervalo.

- É um time bastante violento, está chegando na maldade e sendo desleal ? disse o Fabuloso.

No segundo tempo, mais confusão entre os atletas e uma entrada violenta de Felipe Melo em Puri, que poderia ter quebrado a perna do rival. Logo depois, Kruglov foi expulso por falta em Daniel Alves.

Com o resultado em Tallin, o Brasil chegou a 17 partidas sem perder, superando a marca de Carlos Alberto Parreira entre 2003 e 2004 (16). O próximo compromisso é com a Argentina, que nesta quarta venceu a Rússia por 3 a 2, no país vizinho à Estônia. O clássico sul-americano será em Rosário, pois Maradona quer aumentar a pressão sobre os brasileiros e acha o estádio do River Plate muito grande.

O time de Dunga lidera as eliminatórias com 27 pontos, seguido pelo Chile (rival do dia 9 de setembro, em Salvador, com 26), Paraguai (24) e Argentina, quarta colocada com 22.

GOL DE FABULOSO NO FINAL DO PRIMEIRO TEMPO

Empolgada pelo amistoso com a seleção pentacampeã mundial, a Estônia deu o primeiro chute a gol na partida, aos nove minutos, quando Sando Puri mandou por cima da baliza de Julio César.

O Brasil só assustou aos 17: Luis Fabiano tocou para Robinho, que driblou o zagueiro e bateu na defesa. Aos 25, Kaká sofreu falta feia de Dmitrijev. Na cobrança, Luisão subiu bem de cabeça e tocou rente à trave de Sergei Pareiko. Alguns jogadores brasileiros chegaram a comemorar gol, porque a rede balançou.

O gol saiu aos 42. Na entrada da área, Robinho tentou tocar na área, mas pegou mal na bola e Alo Bärengrub cortou. Mas cortou mal, a bola bateu em Kaká e sobrou para Luis Fabiano, que dominou na área e chutou para marcar 1 a 0.

DIEGO TARDELLI ESTREIA PELA SELAÇÃO

Os jogadores brasileiros reclamaram bastante da violência dos donos da casa, até com o árbitro sueco Martin Ingvarsson. Coincidência ou não, no segundo tempo o ritmo de pancadas diminuiu.

Dunga aproveitou para fazer testes. Diego Tardelli entrou no lugar de Robinho e fez sua estreia com a camisa amarelinha. O treinador colocou ainda Miranda, Daniel Alves, Julio Baptista e Nilmar. Assim, o lateral-esquerdo Filipe Luis, do La Coruña, não fez sua estreia.

Nilmar teve boas chances e quase fez um de bicicleta. Mas a paz em campo durou pouco. Após uma dividida com Luisão, o goleiro Pareiko quis briga e houve empurra-empurra na área. Os dois acabaram levando cartão amarelo.

Aos 35, a melhor chance para ampliar. Tardelli achou Julio Baptista sozinho na área, o jogador do Roma dominou e bateu bonito, mas por cima do gol.

Felipe Melo também abusou da violência aos 40 e acertou um carrinho na canela de Puri. Logo depois, Daniel Alves se envolveu em lance violento com Kruglov, levou amarelo, mas o estoniano foi expulso.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com