Brasileiro diz que viu de perto morte de piloto na F2

Um dos primeiros pilotos a lamentar a morte do jovem foi o brasileiro Carlos Iaconelli

A morte do piloto Henry Surtees, de apenas 18 anos, chocou o mundo do automobilismo. Filho de John Surtees, campeão mundial de Fórmula 1 em 1964, o jovem foi atingido na cabeça por uma roda que se desprendeu do carro do piloto Jack Clark, que havia batido no muro instantes antes, em prova da Fórmula 2 disputada em Brands Hatch, na Inglaterra.

Um dos primeiros pilotos a lamentar a morte do jovem foi o brasileiro Carlos Iaconelli, que participou da prova que vitimou Surtees e relatou em seu Twitter o que aconteceu na prova. "Para mim é bem pior. Rodei na primeira volta e estava bem atrás dele quando aconteceu. Vi tudo. Quando você sabe que alguém morreu correndo é muito ruim, mas quando acontece quando você está correndo junto, é simplesmente terrível. É bem difícil de acreditar, não sei o que dizer", relatou. "O pior aconteceu a Henry! Péssimo dia para o esporte", lamentou Iaconelli.

"Quando uma fatalidade desta acontece, parece que é com um amigo nosso. Mesmo não conhecendo fiquei muito mal", disse o brasileiro Rubens Barrichello, piloto da Brawn na Fórmula 1, em seu Twitter, meio usado por corredores para enviar condolências aos familiares. "Só dá para achar que era a hora dele mesmo. Meu pensamento está com a família Surtees agora", comentou.

O piloto da Renault Nelsinho Piquet também usou o Twitter para transmitir suas considerações sobre a morte de Surtees e, assim como Barrichello, passou uma mensagem de apoio à família. "Notícias muito, muito tristes sobre Henry Surtees. Meus pêsames para a sua família. Hoje é um dia muito triste", disse o brasileiro.

Piloto da GP2, Bruno Senna seguiu a linha de Piquet e Barrichello ao lamentar o acidente, além de comentar que estava assistindo à corrida. "Minhas condolências à família de Henry Surtees. É uma perda trágica. Estava vendo a prova pela TV e não acreditei no azar que ele deu", disse.

Fonte: Terra, www.terra.com.br