Bruno Senna: “Voltar para a F1, só com a oportunidade certa”

Bruno Senna: “Voltar para a F1, só com a oportunidade certa”

Ex-piloto da Williams explica que, além do Mundial de Endurance, estuda opções na Nascar

Bruno Senna parece que está tranquilo com o novo rumo que sua carreira tomou após perder a sua vaga na F1. Agora, com contrato para correr a temporada do Mundial de Endurance (WEC), onde fez a sua estreia no último final de semana, com uma vitória pela equipe oficial da Aston Martin, ele diz que voltaria para a F1 apenas se uma chance em uma equipe competitiva aparecer.

Enquanto isso, como o calendário do WEC é curto, com apenas oito provas, ele não dispensa possíveis participações em corridas isoladas de outras categorias, especialmente nos Estados Unidos, onde estuda opções na Nascar, na Indy (nesta, sem correr nos ovais) e na American Le Mans Series.

?Estamos olhando todas as oportunidades possíveis, como Indy, Nascar e American Le Mans Series. Outros tipos de endurance também. Monoposto, mais a Indy mesmo. Você nunca diz não para a F1, mas lá tem que ser a oportunidade certa. Acho que tem muito piloto na F1 que está vendo que você fica patinando lá e acaba indo para outra categoria e tendo que aprender tudo de novo?, explicou o piloto de 29 anos ao Tazio.

Nesta segunda parte de sua entrevista exclusiva ao Tazio, ele fala de seus planos para o futuro, sobre o que pensa das suas atuais opções e do cenário da F1. [Clique aqui para ler a primeira parte, sobre a participação dele no Mundial de Endurance].

O Nelsinho Piquet anunciou recentemente que vai participar de uma etapa do Global RallyCross, que acontece dentro do X Games. Nos Estados Unidos existe essa cultura do piloto não correr apenas a categoria em que ele está regularmente, mas também em outras, como as diversas divisões da Nascar, endurance, rali e etc. Na F1, não existe esta liberdade. Para o piloto, é mais prazerosa essa cultura americana? E você acha que seria possível encaixar na agenda dos pilotos de F1 participações em outras categorias?

A F1 não permite muito isso, pois o calendário é tão apertado que não permite fazer outras coisas, e também porque as equipes fazem contratos muito mais agressivos, que não permitem que os pilotos façam muitas outras coisas. Até que a Nascar tem um calendário mais cheio que a F1, mas os contratos permitem que você faça outras corridas, são mais liberais. No endurance, como a frequência das corridas é mais baixa, os pilotos não correm só de WEC. Varia um pouco a paisagem. É uma categoria muito mais relaxada que a F1 também. É outro tipo de vida. Estou me divertindo, mas estou procurando outras coisas para fazer também, até porque agora que eu aprendi a fazer 20 corridas por ano [na F1], é bom fazer mais do que apenas oito ou nove [no WEC].

Fonte: UOL