Carlos Alberto faz golaço, mas Fluminense vence

O Figueirense voltou ligado para o segundo tempo

O Fluminense voltou a vencer no Campeonato Brasileiro, fazendo 3 a 2 no Figueirense. Mas não foi fácil. Depois de um bom primeiro tempo, os cariocas relaxaram e viram o jogo se complicar. Já nos minutos finais, Magno Alves apareceu para garantir o triunfo do Tricolor, em partida remarcada da 18ª rodada do Nacional.

Em Édson Passos, além do Magnata, Gustavo Scarpa e Renato Chaves marcaram para o Flu, que chegou a 34 pontos. Carlos Alberto e Nirley fizeram para o Figueira, que segue na zona de rebaixamento, com 24.

Carlos Alberto faz golaço, mas Fluminense vence  (Crédito: Reprodução)
Carlos Alberto faz golaço, mas Fluminense vence (Crédito: Reprodução)


A partida marcou mais um reencontro entre Carlos Alberto e o Fluminense, clube em que foi revelado. E o meia foi um dos personagens da partida. Além de um belo gol marcado, o jogador teve um desentendimento com alguns atletas do rival no intervalo.

Na próxima quarta-feira, o Fluminense tem o clássico contra o Botafogo, fora de casa. No mesmo dia, os catarinenses recebem o Atlético-PR. Ambos os jogos serão válidos pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Fluminense começou tentando impor-se em campo, fazendo valer o fator casa. Aos 6, Scarpa teve chute de dentro da área bloqueado pela defesa. Logo na sequência, Cícero finalizou, mas a bola ficou fácil para o goleiro dos catarinenses.

Carlos Alberto faz golaço, mas Fluminense vence  (Crédito: Reprodução)
Carlos Alberto faz golaço, mas Fluminense vence (Crédito: Reprodução)


Aos 13, os cariocas chegaram ao gol. Wellington fez boa jogada pela esquerda e cruzou. Scarpa, de centroavante, cabeceou firme: 1 a 0. O tento não esfriou o ímpeto dos donos da casa. Aos 16, Henrique Dourado saiu cara a cara com o arqueiro, mas o bandeirinha marcou impedimento.

Mas não demorou para o time de Levir ampliar. Aos 19, Dourado cabeceou, Fernández ainda salvou, mas Renato Chaves conferiu no rebote, de cabeça, marcando o segundo gol.

Aos 25, quase o terceiro. O goleiro do Figueira falhou e a bola sobrou no pé de Henrique Dourado, que parou em Gatito. Cinco minutos depois, mais uma vez o centroavante do Flu teve chance, mas sua cabeçada saiu.

Nos minutos finais, os cariocas diminuíram um pouco o ritmo, administrando a boa vantagem conquistada. No último minuto, Cícero cabeceou firme, parando em grande defesa de Gatito. Assim, os times foram para o vestiário com o placar de 2 a 0.

O Figueirense voltou ligado para o segundo tempo e, aos 3 minutos, Carlos Alberto acertou lindo chute de fora da área, diminuindo a vantagem dos mandantes e renovando as esperanças da equipe de Tuca Guimarães.

Com o susto sofrido, a torcida do Flu passou a pedir a entrada de Magno Alves no ataque. Sem a mesma efetividade do primeiro tempo, os cariocas pararam de ameaçar o gol dos rivais.

E a situação piorou ainda mais aos 15. Ayrton cobrou falta e Nirley aproveitou, de cabeça. A bola ainda bateu na trave antes de balançar as redes de Cavalieri: 2 a 2.

Buscando retomar a vantagem, o Fluminense voltou a pressionar, sem a mesma intensidade dos primeiros 45 minutos. Aos 19, Douglas arriscou de longe, mas o arremate saiu fraco, facilitando a defesa de Fernández. Quatro minutos depois, o paraguaio teve mais trabalho, fazendo boa defesa em chute de Marquinho.

No contra-ataque, o Figueira quase virou. Rafael Silva fez ótima jogada e finalizou de fora. A bola raspou a trave do gol de Cavalieri. Mesmo com esse risco, Levir abriu mão do volante Douglas, colocando o atacante Marcos Júnior, aos 30.

Aos 33, a confiança da torcida surtiu efeito. Magno Alves, aclamado pelo público, mergulhou em cruzamento de Wellington Silva e colocou no canto: 3 a 2 Fluminense.

Nos minutos finais, os catarinenses foram para o desespero, em busca da igualdade. Aos 42, Lins aproveitou falha do goleiro dos cariocas, mas a cabeçada acertou o travessão. Aos 46, Rafael Moura tentou, mas parou em Diego.

A última chance veio no último lance. Ayrton jogou na área, Cavalieri foi tocado no alto e a bola entrou no gol. O árbitro sinalizou de forma confusa, e ficou a dúvida se o gol havia sido validado. No fim, foi marcada a falta no arqueiro dos cariocas, e a partida terminou em 3 a 2.

Fonte: Com informações do Terra