CBF anuncia estádio do Corinthians na abertura da Copa de 2014

CBF anuncia estádio do Corinthians na abertura da Copa de 2014

Comitê paulista enviou oficialmente proposta de construção do estádio em Itaquera

Em reunião realizada no início da tarde desta segunda-feira, o comitê paulista indicou oficialmente o estádio que o Corinthians pretende construir no distrito de Itaquera como a opção do estado para a abertura da Copa do Mundo. O anúncio de algo que já estava combinado desde julho, quando o presidente do Corinthians viajou à África do Sul como chefe da delegação brasileira, foi feito pelo governador de São Paulo, Alberto Goldman, pelo prefeito da capital, Gilberto Kassab, e pelo presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COL (Comitê Organizador Local), Ricardo Teixeira.

Há mais incógnitas do que certezas no anúncio. Por exemplo: não foi explicado como será paga a diferença que custará a ampliação do projeto corintiano. Inicialmente, o clube pretendia construir um estádio de R$ 350 milhões, para 48 mil pessoas. Para abrir a Copa do Mundo é preciso um campo para 65 mil pessoas, a custo de R$ 600 milhões. O arquiteto Aníbal Coutinho, responsável pelo projeto, finaliza a adequação que será enviada ao comitê da Copa 2014 e à Fifa, que ainda precisam aprová-lo.

"Após o projeto aprovado virão as garantias financeiras, como aconteceu com todos os outros estádios que foram aprovados", disse o presidente Ricardo Teixeira, lembrando que antes da reunião recebeu uma ligação do governador eleito Geraldo Alckmin se colocando à disposição do comitê para ajudar com as obras de infraestrutura em Itaquera.

Ninguém respondeu diretamente sobre os custos. O Corinthians e a construtora Odebrecht, parceira do clube na obra, garantem que conseguem um financiamento de R$ 400 milhões com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), mas faltariam R$ 200 milhões, um terço do valor da obra. Andrés Sanchez diz que o Corinthians não paga a diferença.

"O Governo não pode colocar em dinheiro em uma obra privada (o estádio corintiano), mesmo se quisesse", disse o governador Alberto Goldman. A Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) avisou recentemente, por meio de seu secretário-geral, Jerome Valcke, que a entidade não pretende colocar dinheiro em obras de estádio ou de estrutura.

Depois do anúncio, os três concederam rápida entrevista coletiva, mas com a insistência dos jornalistas em saberem como será pago o terça que falta para o estádio estar apto para a abertura da Copa de 2014, Goldman, Kassab e Teixeira preferiram encerrar a entrevista. Antes, o prefeito rasgou elogios ao Corinthians. Até pouco tempo atrás ele defendia o estádio do Morumbi, do São Paulo, como opção paulista para a Copa do Mundo de 2014.

"Vamos nos unir ao Corinthians nesta empreitada. O clube, além de representar o Brasil vai ganhar uma arena e trazer desenvolvimento a uma região do estado de São Paulo", disse o prefeito da capital.

A obra tem previsão de começar em março de 2011 e termina no final de 2013, portanto estará fora da Copa das Confederações, que será em junho de 2013. Em nota oficial, o Corinthians informou que finaliza a adequação do projeto para 65 mil espectadores e que a questão do financiamento será definido somente depois das aprovações pela Fifa e órgãos estaduais.

Fonte: IG