Ceni é ironizado por ter se adiantado na finalização de Alexandre Pato

Tradicional alvo das torcidas adversárias, Ceni foi bastante ironizado por ter se adiantado na finalização de Pato

Rogério Ceni viu Luís Fabiano desperdiçar a última cobrança do São Paulo em disputa contra o Corinthians, pela semifinal do Campeonato Paulista, no último domingo. Com isso, precisava defender o pênalti de Alexandre Pato para levar a partida aos tiros alternados. O goleiro se adiantou, espalmou a finalização e viu a arbitragem mandar voltar. Na segunda tentativa, o atacante alvinegro acertou o gol e classificou os corintianos.

Tradicional alvo das torcidas adversárias, Ceni foi bastante ironizado por ter se adiantado na finalização de Pato. Os rivais fizeram montagens, charges e vídeos provocando o goleiro por ter ido além da linha de gol para tentar defender. Em entrevista à ESPN Brasil, o são-paulino disse que ignorou as piadas e citou a estratégia empregada na "adiantada".

"Chego tarde do jogo, então não acompanho a programação esportiva. Vi umas charges, eu chegando perto da bola...", afirmou Rogério. "Já peguei pênaltis assim e foram validados em outros momentos. Contra o Estudiantes (Libertadores 2006) foi assim. É do momento do jogo, do árbitro, da boa vontade ou não", completou o goleiro.

Ceni lembrou da disputa de pênaltis contra o Estudiantes, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América de 2006. Na ocasião, o goleiro viu o hoje corintiano Danilo desperdiçar no Morumbi no penúltimo chute e se adiantou para espalmar arremate de Alayes. Logo depois, Junior converteu a tentativa e o erro de Carrusca classificou o São Paulo para a semifinal contra o Chivas.

"Minha função é tentar defender o pênalti. Era pegar ou pegar. E a defesa foi feita. Uma pena que o árbitro mandou voltar. Eu via na Europa o Dida, que é um ótimo goleiro e pega muito bem pênaltis, vi jogos em que adiantou mais do que isso e não mandaram voltar. É do jogo. Alguns voltam, outros não", comentou o goleiro.

Rogério Ceni ainda citou outros arqueiros no Campeonato Paulista que se adiantaram para defender pênaltis e não tiveram as defesas anuladas. Entre eles, lembrou do santista Rafael, que foi destaque nas cobranças contra Palmeiras e Mogi Mirim, respectivamente nas quartas de final e semifinal do Estadual.

"É interpretativo. Vai de árbitro para árbitro e de comentarista para comentarista. Você vai no banco, faz um assalto, não importa se leva mil ou um milhão. Se você assalta, a punição não é pelo valor. É assim que vejo. Se eu adiantei mais do que o Cássio, adiantei. Assim como no sábado, na concentração, vi Santo x Mogi. O Rafael se adiantou um pouco e defendeu muito bem. Valeu normalmente. Ali é de momento. É muito impulso. Cada um quer fazer o melhor. O árbitro vai interpretar e é para isso que ele existe", explicou Ceni.



Fonte: Terra