Weidman afirma estar em "outro nível" contra "bombado" Belfort

Weidman afirma estar em "outro nível" contra "bombado" Belfort

Campeão dos pesos-médios do UFC especula que polêmico TRT usado pelo brasileiro pode encobrir outras substâncias proibidas no MMA

Após bater o lutador considerado por muitos como o "melhor de todos os tempos", Chris Weidman está confiante que pode superar qualquer desafio, e especialmente o seu próximo, o brasileiro Vitor Belfort. Após dizer que o lutador carioca estava "se sentindo como o Hulk" graças ao tratamento de reposição de testosterona (TRT) ao qual se submete, o campeão dos pesos-médios do UFC especulou que o adversário pode estar usando mais do que apenas testosterona. Apesar disso, acrescentou que não se preocupa em enfrentar um Belfort "aditivado".

- Sinto que estou em outro nível do que ele. Acho que é uma ótima luta para mim. Acho que posso derrotá-lo, não importa o que ele fizer. (A vitória) É mais legítima ainda se eu vencer um bombado, se é que podemos chamá-lo assim - declarou Chris Weidman, em entrevista ao podcast "The MMA Hour", do site "MMA Fighting".

O americano afirmou estar ciente que a maioria das perguntas que serão feitas a ele até a data da luta - ainda indefinida, mas projetada para maio ou julho - será sobre o polêmico TRT. Weidman disse não se incomodar com isso e colocou a pressão sobre Belfort, lembrando que o brasileiro foi pego no doping em 2006, em luta contra Dan Henderson.

- É mais uma nuvem para ele. Ele é quem foi pego trapaceando antes. Agora ele está usando TRT e não acho que isso é certo. Eu ouvi de outros usuários de TRT, sem mencionar nomes, mas ouvi que TRT é uma boa forma de encobrir outras coisas. Eu não sei muito sobre a situação em que esses caras estão, mas não parece legal para mim, para um cara que não está tomando nada - argumentou.

Além de Belfort, Weidman comentou também a lesão sofrida por Anderson Silva na revanche entre os dois, no UFC 168. O campeão voltou a dizer que não reparou que o adversário havia fraturado a perna imediatamente, e disse torcer pelo seu retorno ao octógono, embora reconheça que isso será um desafio tanto mentalmente quanto fisicamente.

- Eu quero vê-lo voltar, mas seria uma transição muito difícil. Fisicamente, vai ser duro, mas pode ser mais a parte mental que vai ser um desafio maior para ele. Ele era conhecido como o melhor de todos os tempos, e eu ainda acho que ele deveria ser conhecido como o melhor de todos os tempos. (...) Ele foi nocauteado na primeira luta por mim, nunca foi nocauteado antes. Aí, na segunda luta, ele é derrubado no primeiro round, depois quebra a perna em mim apesar de ser conhecido como um "chutador". Vai ser difícil para ele, mas eu o desejo o melhor, quero que ele volte e faça grandes coisas - disse Weidman.

Fonte: GloboEsporte