Com brigas, socos e golaços, Palmeiras vira no fim e escapa de vexame contra o Paysandu

Com brigas, socos e golaços, Palmeiras vira no fim e escapa de vexame contra o Paysandu

Em jogo polêmico, Verdão supera retranca do Paysandu e, nos acréscimos, consegue vitória que amplia vantagem paulista na liderança da Série B

O alerta foi dado por Gilson Kleina na véspera da partida. Mesmo com a ótima campanha, era necessário esquecer a estreia na Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, pensar somente no Paysandu e, acima de tudo, respeitar o adversário paraense. Em jogo nervoso e na base da raça, o Palmeiras conseguiu superar a vantagem dos visitantes no Pacaembu e, nos acréscimos, virou para 3 a 2 e garantiu importante vitória no Campeonato Brasileiro da Série B.

Bem posicionado na defesa, o Papão montou retranca e apostou nos contra-ataques. A tática deu certo, tanto que conseguiu abrir 2 a 0, com gols de Pablo e Pikachu. Quando tudo parecia perdido para os palmeirenses, porém, o time foi buscar a reação. Mas, antes da virada, uma grande confusão na segunda etapa mexeu com as duas equipes. Após disputa de bola entre Vanderson e Wesley, jogadores de Palmeiras e Paysandu trocaram socos e empurrões na lateral do gramado. Pior para Fábio Sanches e Wesley, que acabaram expulsos pelo árbitro Gilberto Rodrigues Castro Júnior. Pouco depois, com gols de Mendieta e Leandro, o Verdão garantiu seu 12º triunfo no torneio.

O resultado levou o Alviverde aos 40 pontos, na liderança isolada da Série B, e ao 11º jogo de invencibilidade. Já o Paysandu, que segue sem pontuar como visitante, continua na zona de perigo, com 15 pontos. As duas equipes voltam a campo pelo torneio no próximo fim de semana. No sábado, o Verdão vai a Varginha para enfrentar o Boa Esporte. Já o Papão, em casa, recebe o Icasa. Antes, na quarta, o Palmeiras encara o Atlético-PR pela Copa do Brasil.

Sonolento, Palmeiras vê Paysandu abrir o marcador

De um lado, uma equipe displicente e que não repetiu o bom futebol das últimas partidas. Do outro, um adversário que, tecnicamente inferior, foi aplicadíssimo taticamente e que, quando teve a chance de marcar, não desperdiçou. As principais peças do Alviverde praticamente não entraram em campo e sofreram com a boa produção dos paraenses.

Apesar de a equipe estrear na Copa do Brasil na quarta, Kleina mandou força máxima a campo. Mas o que se viu foi um time fora de foco e que errou praticamente tudo o que tentou nos 45 minutos iniciais. O primeiro lance bom foi uma cobrança de falta de Luis Felipe, que exigiu grande defesa de Marcelo. No mais, o Palmeiras teve mais posse de bola, mas abusou do direito de errar passes e, principalmente, de forçar o jogo pelo meio, onde a marcação do Paysandu foi eficiente. Em vários lances, os dez atletas de linha do time paraense se postaram atrás do meio-campo.

A defesa alviverde acompanhou o ataque na tarde infeliz. O Paysandu assustou aos 13, quando perdeu uma chance com Vanderson e não perdoou no minuto seguinte. Após erro de passe de Luis Felipe e falha de Vilson, Marcelo Nicácio tocou para Pablo, que invadiu a área e marcou. Em desvantagem, o Verdão mostrou vontade, mas sem jogadas pelas laterais e sem coordenação pelo meio, criou muito pouco.

Na última chance do primeiro tempo, a melhor oportunidade para os donos da casa. Mendieta invadiu a área pela esquerda e tentou jogada individual. Após dividir com o marcador, o paraguaio rolou para Leandro, que quase dentro da pequena área obrigou Marcelo a fazer a defesa e manter a vantagem dos visitantes antes do intervalo.

Fonte: GloboEsporte