Com recorde de Messi, Barça vence outra e ""esfria"" despedida do Shakhtar

Messi tornou-se o maior artilheiro do Barcelona numa única temporada

Durante 20 minutos, a empolgada torcida do Shakhtar Donetsk acreditou que o impossível poderia acontecer na noite desta terça-feira, na Donbass Arena, e que o time da casa daria o troco pelo 5 a 1 sofrido na semana passada no Camp Nou. Foi quando o Barcelona trouxe os ucranianos de volta à realidade, passou a dominar o jogo, abriu o placar com direito a recorde de Lionel Messi e garantiu a classificação para a quarta semifinal seguida de Liga dos Campeões com uma vitória por 1 a 0.

Na mesma cidade onde disputou seu primeiro jogo de Champions, em dezembro de 2004, Messi tornou-se o maior artilheiro do Barcelona numa única temporada, chegando aos 48 gols em 45 jogos e superando a marca de Ronaldo Fenômeno em 1996/97 e também a própria em 2009/2010. A meta passa a ser então alcançar o maior artilheiro de um clube espanhol, o húngaro Ferenc Puskas, que marcou 49 vezes pelo Real Madrid em 1959/60.

Agora, na disputa por uma vaga na final do torneio, o time catalão deverá ter pela frente o arquirrival Real Madrid, que enfrenta o Tottenham nesta quarta-feira, em Londres, podendo perder por até três gols de diferença.

Os merengues também serão o adversário do Barcelona nos dois próximos jogos. O primeiro já é no sábado, pela Liga Espanhola, no Santiago Bernabéu. Na quarta-feira, em Valência, a decisão da Copa do Rei em jogo único no estádio Mestalla. Os válidos pela semifinal da Liga dos Campeões, caso o time de Mourinho confirme a classificação, serão disputados nos dias 26/27 e 3/4 de maio.

Eliminado da Liga dos Campeões, por sua vez, o Shakhtar Donetsk volta as atenções para o Campeonato Ucraniano, no qual lidera com 11 pontos de vantagem sobre o segundo colocado Dínamo de Kiev. No domingo, o adversário é o Tavriya, fora de casa.

Empurrado pela torcida que esgotou os ingressos da impressionante Donbass Arena, o Shakhtar começou a partida pressionando, impondo um ritmo forte contra um Barcelona mais interessado em esfriar o jogo e deixar o tempo passar. Assim como no Camp Nou, o time ucraniano teve chance de abrir o placar logo nos primeiros dez minutos. Aos 8 minutos, Jadson encontrou Douglas Costa dentro da área, o meia chutou cruzado e Víctor Valdés defendeu. A bola voltou para Douglas, mas o segundo chute acabou desviado e indo para escanteio.

Cinco minutos depois, Douglas Costa cruzou da direita e Luiz Adriano pegou de primeira, mas o toque saiu fraco e ficou nas mãos de Valdés. Com um Barcelona mais recuado, era Jadson quem ditava o ritmo da partida. Do lado contrário, Lionel Messi somente aos 20 minutos passou a aparecer mais em campo. Pouco depois, o Shakhtar teve nova chance de fazer o primeiro. Kobin entrou pela direita e cruzou o meio da área. Jadson emendou mas o chute saiu prensado e Valdés conseguiu defender.

O lance fez a torcida do Shakhtar ir ao delírio e passar a gritar o nome do meia brasileiro. De tão empolgados, os membros da "organizada" do time ucraniano localizada atrás do gol de Pyatov tiraram a camisa apesar dos 5ºC - para eles é quase calor. Mas a patir daí o Shakhtar esfriou e o Barcelona passou a mandar no jogo. Primeiro em chutes de Messi e Keita, aos 27 e 28 minutos. Logo depois, a equipe catalã teve sua melhor oportunidade, quando Afellay passou para Adriano, que entrou livre pelo lado esquerdo da área e chutou. Pyatov espalmou e a defesa cortou na rebatida.

Messi decide e quebra recorde

Parecia que o duelo tinha voltado ao Camp Nou. Aos 31, Messi ganhou da zaga em lindo lance, ficou livre na cara do gol mas tentou encobrir Pyatov, que defendeu sem problemas. Dominado completamente, o Shakhtar recuou e a defesa passou a apresentar os mesmos buracos da partida da semana passada. Por um deles, Messi recebeu de Dani Alves e tocou com estilo no canto esquerdo para fazer 1 a 0 e silenciar a Donbass Arena.

Foi o 48º gol do craque argentino na atual temporada, superando o recorde que pertencia ao Ronaldo Fenômeno em 1996/97. Ele também ultrapassou Mario Gomez e Eto"o e já lidera a tabela de artilharia também da Champions - além do Espanhol e da Copa do Rei.

Antes do intervalo, o Shakhtar ainda teve uma última chance numa cobrança de falta de Jadson que Valdés botou para escanteio. Fim de primeiro tempo e a vaga do Barça nas semifinais definitivamente assegurada.

Decisão pelas quartas vira ?treino?

Como prometido pelo treinador Josep Guardiola na véspera da partida, o Barcelona não poupou ninguém. Voltou para a etapa final com o mesmo time do início. Mas o que era jogo virou praticamente um treino que alguns torcedores nem voltaram para assistir.

Aos 4 minutos, Willian fez bela jogada pela esquerda e cruzou para a área, mas ninguém apareceu para botar par a rede. O Shakhtar foi em busca de um gol de honra e o treinador Mircea Lucescu botou Eduardo da Silva em campo. Mas quem quase marcou foi o Barcelona novamente. Aos 13, Messi arrancou, passou por dois e tocou para Afellay, que bateu no canto. Pyatov se esticou todo e fez grande defesa.

O Shakhtar teve uma grande chance com Mkhitaryan aos 28 minutos, num chute de dentro da área que Valdés salvou, e outra melhor ainda com Marcelo Moreno, que entrara no lugar do lesionado Luiz Adriano. O atacante brasileiro-boliviano conseguiu botar para fora de frente para o gol após cruzamento de Mkhitaryan pela direita. Antes que a bola voltasse a jogo, um torcedor do Shakhtar invadiu o gramado e foi rapidamente detido pelos seguranças. Mas o gol não veio, muito menos a reação impossível.





Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com