Com roupa nova, Flamengo bate o Bahia com gol de Hernane e sobe mais uma posição no Z-4

Com roupa nova, Flamengo bate o Bahia com gol de Hernane e sobe mais uma posição no Z-4

Rubro-Negro faz 2 a 1 no Maracanã e amplia vantagem para zona antes de fazer dois jogos fora. Tricolor pode terminar rodada perto da degola

A torcida do Flamengo já pensava na maldição do terceiro uniforme e seu péssimo retrospecto na história - três vitórias em 23 partidas. Mas Hernane mais uma vez mostrou estrela. O artilheiro do novo Maracanã fez um gol salvador aos 40 minutos do segundo tempo - o seu 11º em 11 jogos no estádio - e ajudou o Rubro-Negro a derrotar o Bahia por 2 a 1 na noite desta quarta-feira, pela 29ª rodada do Brasileiro. Quem também garantiu o resultado foi Felipe, autor de duas defesas salvadoras, uma no último lance do jogo. Paulinho também deixou a sua marca, enquanto Fernandão descontou para o Tricolor. O Maracanã recebeu 8.474 pagantes (12.443 presentes), com uma renda de R$ 361.830.

Pela primeira vez o técnico Jayme de Almeida ouviu os gritos de "burro" da arquibancada ao usar sua última substituição, quando o jogo estava empatado por 1 a 1, para colocar Val no lugar de Elias. O escolhido para entrar seria Rafinha, mas o camisa 8, exausto, pediu para sair. A reclamação durou pouco tempo, menos de dois minutos, até o Brocador fazer seu 13º gol na competição e abraçar Jayme na comemoração.

- Esse gol sem dúvida foi o mais importante para mim, estávamos numa situação difícil. Fiz o gol quando a torcida vaiava o professor Jayme e por isso fui comemorar com ele. O jogo foi muito difícil, sentimos o cansaço, mas o importante é a vitória - afirmou Hernane.

O Bahia poderia ter saído do Maracanã com um resultado melhor, mas a estratégia ofensiva de Cristóvão Borges - depois de perder Wallyson, contundido - não soube explorar a pouca velocidade de André Santos. O jogador foi improvisado na lateral esquerda do Flamengo ainda no primeiro tempo, após a lesão de João Paulo. Quando caiu pelo setor, Wiliam Barbio ganhou fácil do rubro-negro na velocidade, mas o atacante foi mantido do lado aposto do campo para ajudar na marcação.

Com o resultado, o Flamengo subiu para nono lugar com 40 pontos e abriu oito para a zona da degola. Já o Bahia permaneceu com 36 e pode terminar a rodada só dois pontos à frente do Z-4, caso o Vasco derrote o Goiás, nesta quinta-feira, em Macaé. Na próxima rodada, o Flamengo visita o Atlético-MG no domingo, às 16h (de Brasília), no Independência. No mesmo dia e horário, o Bahia recebe o São Paulo, na Fonte Nova.

Lesões atrapalham planos de Fla e Bahia

O Fla de preto apostou na posse de bola: chegou a ter 63% do controle do jogo no primeiro tempo, mas não transformou o domínio em resutado. Com Hernane preso no meio de Lucas Fonseca e Titi, Paulinho era quem aparecia na área para finalizar, mas ora faltava força no chute, ora carecia de pontaria. Já o Bahia jogava suas fichas na velocidade do contra-ataque, com Wallyson e Wiliam Barbio aberto pelas pontas. Foi assim que o segundo teve a melhor chance da etapa: em arrancada desde o campo de defesa, ganhou de Amaral, tabelou com Hélder e saiu na cara de Felipe, mas concluiu em cima do goleiro. O jogo ainda ganhava emoção quando as duas equipes sofreram baixas, antes da metade dos 25 minutos.

O rubro-negro João Paulo sentiu o joelho em dividida com Madson e obrigou Jayme de Almeida - que geralmente só mexe na equipe na metade do segundo tempo e às vezes nem faz as três substituições - a queimar logo de cara uma alteração. Luiz Antonio entrou. Já do lado tricolor, a surpresa Wallyson só teve 22 minutos em campo até sair com dores na coxa para dar vaga a Marquinhos Gabriel. A mudança foi mais prejudicial ao Fla: deslocado para a lateral, André Santos sentiu a falta de velocidade e foi obrigado a parar Barbio com infração. Cristóvão Borges só parecia em dúvida se invertia o veloz atacante para as costas de André Santos ou continuava com ele para ajudar a defesa pelo lado esquerdo.

Ex-rubro-negros viram carrascos, mas Hernane salva o Fla

Para o segundo tempo, Cristóvão optou por manter Barbio na esquerda. Jayme, insatisfeito com o desempenho, mexeu de novo no intervalo, dessa vez por opção tática. Gabriel entrou no lugar de um apagado Carlos Eduardo e passou a dar mais opção pela esquerda. Mas foi quando André Santos chegou à linha de fundo que o gol saiu. Relembrando os velhos tempos de lateral - e sem se preocupar com Barbio, do lado oposto do campo -, o camisa 27 cruzou na medida para Paulinho. E se o atacante estava mal com os pés, usou a cabeça para fazer 1 a 0.

Gabriel irritou a torcida ao sair no mano a mano num contra-ataque e ser desarmado por Feijão. Quando os torcedores do Fla se mostravam confiantes na vitória e pediam até pela entrada de Obina no rival, outros ex-rubro-negros viraram carrascos. Barbio deu lugar a Souza, que rolou para a pancada de Fernandão no ângulo: 1 a 1. Cristóvão resolveu arriscar e sacou Hélder para a entrada de Anderson Talisca. Já os flamenguistas gritaram "burro" para seu treinador, que promoveu a entrada de Val.

Com Paulinho exausto e sem fôlego na frente, a esperança rubro-negra recaiu sobre Hernane, que vinha tendo uma atuação discreta com só duas finalizações. Na melhor delas, viu a bola bater nas duas traves. Mas, aos 40 minutos, a dobradinha do artilheiro com Léo Moura voltou a funcionar: o lateral foi ao fundo, cruzou por baixo, e o Brocador empurrou para a rede. No último lance do jogo, Felipe defendeu uma bomba de Raul e garantiu a sofrida vitória.

Fonte: GloboEsporte.com