Comportamento "queima" Jadson com Muricy, e meia deve deixar São Paulo

Lesão inexistente, cirurgia sem comunicar o clube e quilos a mais na pré-temporada irritam técnico. Direção tenta envolvê-lo em alguma negociação

Muricy Ramalho tinha um alvo determinado quando declarou que a disciplina será rigorosa no São Paulo em 2014: Jadson. O treinador está insatisfeito com o comportamento do jogador desde o ano passado e sequer o relacionou para as duas primeiras partidas do Campeonato Paulista. Com o técnico cada vez mais poderoso, o meio-campista está mais próximo de deixar o clube do Morumbi.


Comportamento

Contratado para substituir Paulo Autuori e salvar o time do rebaixamento no Brasileirão, Muricy também tinha a missão de cobrar um melhor rendimento e mais empenho dos atletas. Jadson chegou a ser titular nos primeiros jogos do treinador, mas não produziu o necessário e viu Paulo Henrique Ganso dominar a posição com facilidade.

Dois episódios foram decisivos para o meio-campista cair em desgraça com o treinador. Ambos sem relação com o rendimento no campo. Muricy se irritou quando Jadson alegou dores musculares antes da viagem ao Chile para enfrentar o Universidad Católica, pelas oitavas da Copa Sul-Americana. Exames realizados imediatamente não detectaram nenhum problema, e o treinador o obrigou a embarcar ? o jogador ficou no banco e não entrou.

Nesse mesmo período, o técnico teve exemplos de empenho e fazia questão de citá-los nas entrevistas. Casos de Rodrigo Caio, Maicon, Reinaldo e Ademilson, jogadores que obtiveram certo destaque em meio à má fase do time na reta final do torneio.

O outro atrito aconteceu na semana que antecedeu a última rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Coritiba, em Itu, momento em que o Tricolor já estava livre do rebaixamento. Sem comunicar o clube, Jadson fez uma cirurgia na boca por causa de um tratamento dentário e não teve condições de ser relacionado, irritando o comandante.

A virada do ano não melhorou a relação. Na avaliação da comissão técnica, Jadson retornou das férias acima do peso e sem condições de atuar em uma partida oficial. Por isso, ficou fora da estreia no Paulistão diante do Bragantino e sequer apareceu na lista de convocados para enfrentar o Mogi Mirim, nesta quarta-feira, às 22h, no Morumbi.

Nas entrelinhas, o treinador deixou claro que espera mais do meio-campista. Em entrevista na semana passada, Muricy disse que é possível montar a equipe com Jadson e Ganso no meio de campo, mas desde que os atletas queiram. Um recado ao baixinho.

? Todo bom jogador pode jogar junto, desde que o jogador seja bom e queira jogar. Depende dos jogadores quererem, mas é preciso lembrar que no ano passado acertamos a equipe quando mudamos a forma de jogar, com só um cara de ligação. Não tem fórmula para montar o time, é preciso só que o jogador queira ? afirmou.

A diretoria do São Paulo não esconde que pode negociar Jadson a qualquer momento. Como o contrato dele vence em dezembro de 2014, o clube sabe que dificilmente conseguirá um valor considerável pelos direitos do jogador. Assim, cogita envolvê-lo em alguma troca. O alvo da vez é o atacante Nilmar, do Al Rayyan, do Qatar.

Jadson foi o principal jogador do São Paulo no primeiro semestre do ano passado e acabou até convocado por Luiz Felipe Scolari para disputar a Copa das Confederações. Entretanto, caiu de rendimento no segundo semestre, principalmente quando Muricy chegou e passou a dar prioridade a Paulo Henrique Ganso no setor de criação.

Fonte: Globo