Corinthians contesta punição e diz não cogitar portões fechados na quarta

Corinthians contesta punição e diz não cogitar portões fechados na quarta

Clube diz que "lançará mão de todos os recursos legais para reformar a decisão" e pede paciência à torcida para o jogo da próxima quarta-feira

O Corinthians promete contestar até o fim a punição imposta pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) de forçar o clube a jogar com portões fechados suas partidas da Taça Libertadores, além de não ter torcedores nos duelos fora. Após reunião realizada nesta sexta-feira, a diretoria alvinegra diz que irá apelar da decisão e que sequer cogita atuar sem torcedores na próxima quarta-feira, diante do Millonarios, da Colômbia, no Pacaembu.

- Só trabalhamos com a hipótese de jogar com torcida, acreditamos na Justiça. A defesa está sendo preparada e será enviada ainda hoje (sexta-feira). Seguramente o tribunal da Conmebol irá analisar a defesa em caráter de urgência até segunda-feira - disse Sérgio Alvarenga, assessor da presidência e ex-diretor jurídico do clube.

A defesa do Corinthians se baseia no princípio da "irreversabilidade" da decisão. Ou seja, caso seja absolvido posteriormente ao jogo de quarta-feira, o Corinthians não terá como ser ressarcido, esportiva e financeiramente.

- A avaliação do nosso advogado especializado é que a decisão foi totalmente injusta e ilegal. Estão punindo quem não cometeu infração alguma. Como ficará o Corinthians se for absolvido, e será, depois de todos esses jogos? Não tem cabimento o clube ser punido antes de apresentar todos esses argumentos - acrescentou Alvarenga.

Responsável por preparar a defesa corintiana, o advogado Luiz Felipe Santoro alega que o Tribunal Disciplinar da Conmebol não tem argumentos suficientes para aplicar essa punição preventiva.

- O Corinthians discorda da punição principalmente por ser de caráter preventivo. Não existem elementos jurídicos para fundamentar uma pena preventiva. Hoje não acho nenhuma pena justa. O vice-presidente (do Tribunal Disciplinar), no exercício da presidência, impôs monocraticamente essa pena preventiva ? argumentou Santoro.

Assim, o Corinthians pede que os torcedores aguardem novas informações referentes ao jogo contra o Millonarios. A partida será a primeira do Corinthians como mandante na fase de grupos da Taça Libertadores. Mais de 28 mil ingressos já foram vendidos para esse confronto.

O Corinthians foi punido após a morte do garoto boliviano Kevin Espada, de 14 anos, atingido por um sinalizador marítimo disparado do setor ocupado pela torcida alvinegra no jogo com o San José, na última quarta-feira, em Oruro, no estádio Jesús Bermúdez. A polícia boliviana prendeu 12 torcedores, indiciados por homicídio.

Integrante do Grupo 5, o time de Tite terá três adversários para enfrentar em São Paulo: além do Millonarios, no dia 27, o time também recebe o Tijuana, do México, no dia 13 de março, e o próprio San José, da Bolívia, no dia 10 de abril. No total, o Corinthians comercializou mais de 83 mil ingressos para esses três jogos.

Confira o comunicado oficial do Corinthians na íntegra:

"A direção do Sport Club Corinthians comunica aos seus torcedores que lançará mão de todos os recursos legais para reformar a decisão imposta pela Conmebol, nesta quinta-feira, dia 21 de fevereiro.

O Corinthians avalia que a punição imposta é injusta, na medida em que prejudica diretamente o direito de inocentes. A medida fere não só o clube, mas, principalmente, os mais de 80 mil torcedores que perderão o direito, já adquirido de forma antecipada, e que não merecem tal pena.

A direção do Corinthians faz questão de deixar claro que confia na Justiça, no bom senso da Conmebol e nos seus órgãos disciplinares.

Por fim, aos torcedores que compraram os bilhetes antecipados, a Diretoria acredita na reforma da pena e pede que todos esperem até a próxima quarta-feira (27) por novas informações."

Fonte: Globo Esporte