Corinthians lamenta "crime bárbaro" e morte de jovem meia

Presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, assinou nota oficial de pesar

Dono dos direitos federativos do meia William Morais, o Corinthians emitiu uma nota lamentando a morte do jogador de 19 anos, na madrugada deste domingo. Emprestado ao América-MG desde o início de 2011, o atleta foi morto ao tentar fugir de uma tentativa de assalto quando deixava uma festa na região da Pampulha, em Belo Horizonte. Três jovens foram presos e confessaram o crime após terem sido identificados por uma testemunha.

"O presidente Andrés Sanchez e o Corinthians manifestam sua solidariedade à família pela perda do jovem William Morais se colocam ao lado do poder público de Minas Gerais para apurar os fatos e prender os culpados por esse crime bárbaro", diz um trecho da nota divulgada pelo clube paulista em seu site oficial.

William chegou a atuar em alguns jogos pelo time profissional do Corinthians em 2010, marcando um gol na campanha que levou o time alvinegro ao terceiro lugar do Campeonato Brasileiro.

O incidente

Segundo a Polícia Militar, o crime com William Morais ocorreu por volta das 2h30, na avenida Clóvis Salgado, no bairro Santa Terezinha. O meia estava a bordo de um automóvel parado e conversava com uma mulher que estava na via quando os três suspeitos abordaram o jogador e tentaram roubar o cordão de ouro que ele usava.

Segundo a mulher que conversava com Morais, o jogador acelerou o carro para tentar fugir quando foi atingido por um tiro nas costas. O meia morreu no local, enquanto os suspeitos fugiram.

Policiais militares que faziam o patrulhamento da região mostraram à mulher fotos de criminosos com passagem pela polícia que atuavam no bairro. Após a testemunha identificar um dos suspeitos, a PM o prendeu em sua casa. O homem confessou o crime e indicou a localização de seus dois comparsas, que também estavam em casa. Na residência de um deles, foi encontrado o revólver calibre 32 usado para matar Morais.

Em depoimento à polícia, os suspeitos, com idades entre 18 e 23 anos, afirmaram que não sabiam que a vítima era um jogador de futebol e que estavam interessados apenas no cordão de ouro de Morais. O PM Alessandro Portugal afirmou que um dos assaltantes já havia sido preso havia cerca de 20 dias por porte ilegal de arma.

Fonte: Terra, www.terra.com.br