Craques fazem festas regadas a drogas

Lado negro da riqueza e da fama dos jogadores ataca em campos do Brasil e do exterior

A investigação envolvendo o desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, trouxe à tona o envolvimento de jogadores de futebol em crimes e festas regadas a prostituição e drogas.

A maioria dos jogadores vem de lugares simples. Famosos e ricos, os craques se tornam celebridades nas comunidades de onde vieram. Alguns acabam envolvidos com os antigos amigos, ligados ao tráfico de drogas. Essas perigosas relações dos atletas tomou os noticiários por vários dias neste ano e afetou especialmente atletas do Flamengo.

No caso mais marcante, o atacante Vágner Love foi visto em um baile funk cercado por traficantes fortemente armados, um dos quais morreu dias seguintes em um tiroteio com a polícia. Ao ser perguntado sobre se não via problema em ter tais companhias, o jogador primeiro afirmou que não largaria as suas origens. Após a repercussão negativa do episódio, anunciou que tomaria mais cuidado com os bailes.

O centroavante Adriano também se viu envolvido em polêmicas parecidas. Primeiro, com as notícias sobre uma moto que teria dado à mãe de um traficante, depois com o aparecimento de fotos nas quais ele está segurando armas.

Atletas do Rubro-Negro também tiveram seus nomes envolvidos em festas com orgias e prostitutas, que alegam ter visto os jogadores usando vários tipos de drogas nesses encontros.

Fonte: R7, www.r7.com