Cruzeiro bate Vitória e com 7 pontos a frente do vice mantém folga na ponta

Cruzeiro bate Vitória e com 7 pontos a frente do vice mantém folga na ponta

Com o resultado, o time celeste encerrou série de três derrotas, duas delas pelo Brasileirão, e voltou a ampliar sua vantagem em relação ao segundo colocado

Depois de pressionar mais de 80 minutos o adversário, o Cruzeiro venceu o Vitória, neste domingo, no Barradão, por 1 a 0, com um gol de cabeça do zagueiro Dedé, aos 38 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o time celeste encerrou série de três derrotas, duas delas pelo Brasileirão, e voltou a ampliar sua vantagem em relação ao segundo colocado, que agoa é de sete pontos para o São Paulo: 59 a 52 pontos.

O Cruzeiro contou com a volta de Everton Ribeiro, que estava na seleção brasileira e que teve atuação razoável. A equipe celeste dominou amplamente o adversário, em busca de um triunfo para evitar uma pressão grande na reta final do Brasileirão. O clube mineiro tinha perdido para Corinthians (1 a 0) e Flamengo (3 a 0), ambas pelo Brasileirão, e por 3 a 2 para o ABC, pela Copa do Brasil, mas conseguiu se reencontrar com o triunfo.

Já o Vitória, que se manteve com 31 pontos, mesmo com a derrota continua fora da zona de rebaixamento, mas não conseguiu apresentar um futebol que justificasse uma das melhores campanhas do returno da competição e nem aproveitar a chance de jogar em casa para se afastar mais da zona de degola. Apesar do triunfo, o Cruzeiro reclama de erros de arbitragem. A primeira reclamação foi de pênalti não marcado de Luiz Gustavo sobre Everton Ribeiro, aos 34 min da etapa inicial. No segundo tempo, aos 25 min, houve um gol anulado do time visitante, em um lance com a participação do zagueiro cruzeirense Manoel.

As fases do jogo: Parecia até que o Cruzeiro é que jogava em casa. O time celeste começou com amplo domínio a partida, em que acuou o Vitória. Prova disso é que o time baiano conseguiu o primeiro ataque aos 18 min, quando Marcinho cobrou falta e o zagueiro Roger Carvalho, livre, tocou por cima do travessão. Já o time visitante obrigou o goleiro Wilson, nos 20 minutos iniciais, a fazer duas defesas difíceis, ambas em chutes de Alisson. O time celeste imprimia velocidade e seus jogadores de ataque movimentavam-se bastante.

O Vitória apenas se defendia. Faltava criatividade e organização no meio de campo. Também no aspecto disposição, os jogadores celestes levavam vantagem, já que ganhavam a maioria das divididas. O Cruzeiro arriscava os chutes de fora da área, mas sem acertar o alvo. Por volta dos 30 min, a equipe celeste aumentou a pressão, rondando perigosamente a área adversária, mas sem conseguir finalizar. O rubro-negro baiano não conseguia segurar a bola na frente. Aos 42 min, Lucas Silva desperdiçou outra chance. O 1º tempo terminou com reclamação celeste de pênalti não marcado sobre Everton Ribeiro.

O Vitória voltou para o segundo tempo com Mansur e Marcos Júnior nos lugares de Juan e Luiz Aguiar. O Cruzeiro, que não fez substituições, continuou melhor em campo, criando e desperdiçando chances seguidas para abrir o placar. O panorama da etapa anterior pouco se alterou. O time da casa não se encontrava e apenas marcava. Esporadicamente contra-atacava, como aos 6 min, quando Richarlyson deu passe a Edno, que mandou por cima do travessão. Três minutos depois, foi a vez de Alisson chutar e Wilson defender.

O Cruzeiro seguia melhor em campo. Com o passar do tempo, no entanto, o Vitória se abria um pouco maios, na tentativa de chegar ao ataque e, em contrapartida, deixava mais espaços ao time visitante, que seguia desperdiçando boas oportunidades. Aos 25 min, o time mineiro colocou a bola nas redes, mas o gol foi anulado. Inicialmente, o árbitroRaphael Claus validou o lance, mas, depois de consultar o adicional Marcelo Henrique Góes, o anulou, marcando irregularidade de Manoel. De tanto tentar, Dedé, aos 38 min fez o gol da vitória.


O melhor: Dedé – Apesar de ter falhado defensivamente, em alguns lances, foi o herói do jogo ao fazer de cabeça o gol que encerrou a sequência negativa celeste.

O pior: Luiz Aguiar– Entrou em campo pela impossibilidade de Vinícius jogar e teve atuação totalmente apagada no primeiro tempo, tanto que não voltou para a etapa final, sendo substituído por Marcos Junior.

A chave do jogo: Chances desperdiçadas –O Cruzeiro dominou os dois tempos do jogo, dando poucas chances ofensivas ao Vitória. Mas, o time celeste pecava no último passe, defeito principal do primeiro tempo, quando rondou a área baiana, mas concluiu pouco. Já na etapa final, o time celeste esteve mais incisivo e objetivo no ataque. Só que faltou melhorar a pontaria. O goleiro Wilson, que substituiu o titular Fernandez, suspenso, também teve participação direta no resultado.

Para lembrar:

Desfalque de última hora. O atacante Vinícius desfalcou o Vitória. De acordo com o técnico Ney Franco o jogador amanheceu sentindo-se mal, foi medicado e havia a expectativa de que ele se recuperasse, o que não aconteceu. "O Vinícius não teve condições de saúde para jogar", explicou o treinador.

Dedé é mantido. Apesar de passar por má fase, o técnico Marcelo Oliveira demonstrou confiança no zagueiro Dedé, mantendo-o como titular diante do Vitória, ao lado de Manoel e fez o gol da vitória.

Boas recordações no Barradão. Foi no Barradão, em Salvador, que o Cruzeiro conquistou matematicamente o título nacional do ano passado, com quatro rodadas de antecedência, ao vencer o Vitória, por 3 a 1, com gols de Willian, Júlio Baptista e Ricardo Goulart. Dinei descontou para os donos da casa.

Cruzeiro chega a 100 rodadas como líder. Com triunfo sobre o Vitória, o Cruzeiro foi o primeiro clube a alcançar a marca de 100 rodadas na liderança, desde que o Campeonato Brasileiro começou a ser disputado por pontos corridos, em 2003.

VITÓRIA 0 X 1 CRUZEIRO

Data: 19/10/2014 (domingo)

Local: Barradão, Salvador (BA)

Árbitro: Raphael Claus (ASP-FIFA-SP)

Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Herman Brumel Vani (SP)

Cartões amarelos: Luiz Gustavo, Marcinho, Nino Paraíba (Vitória); Lucas Silva, Manoel (Cruzeiro)

Gols: Dedé, aos 38 min do segundo tempo

Vitória Wilson; Nino Paraíba, Kadu, Roger Carvalho e Juan (Mansur); Luiz Gustavo (Willian Henrique), Richarlyson, Marcinho e Luiz Aguiar (Marcos Júnior); Edno e Dinei

Técnico: Ney Franco

Cruzeiro

Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique, Lucas Silva (Willian Farias), Marquinhos e Éverton Ribeiro (Eurico); Alisson (Willian) e Marcelo Moreno

Técnico: Marcelo Oliveira

 

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

 

 

 

Fonte: Uol