Cruzeiro cede empate ao Grêmio

Cruzeiro sofreu um gol aos 46 minutos do segundo tempo e cedeu o empate ao Grêmio

Para a decepção de 51 mil torcedores, o Cruzeiro sofreu um gol aos 46 minutos do segundo tempo e cedeu o empate ao Grêmio, por 1 a 1, neste sábado, no Mineirão. Detalhe: o Grêmio havia perdido dois jogadores por expulsão - Túlio e Fábio Santos - quando Herrera marcou. O gol do time mineiro foi de Gilberto, aos 20 minutos da etapa final.

Assim, depois de permanecer por 20 minutos no G-4, enquanto vencia por 1 a 0, o Cruzeiro voltou à quinta posição do Campeonato Brasileiro após o gol sofrido. Soma 55 pontos, sete a menos do que o líder São Paulo e um atrás do quarto colocado Atlético-MG. Na próxima rodada, o time de Adilson Batista encara o Atlético-PR na Arena da Baixada, às 19h30m de sábado.

O Grêmio, em seu primeiro jogo sem Paulo Autuori, segue praticamente sem ambições na competição: tem 49 pontos e está em oitavo lugar. Volta a entrar em campo na quarta-feira, às 21h50m, para receber o Palmeiras no Olímpico.

Cruzeiro se impõe no começo, mas Grêmio reage

Embora os dois primeiros ataques tenham sido do Grêmio, o Cruzeiro dominou os 25 minutos iniciais, com mais volume de jogo e boas chances de gol criadas. A primeira grande oportunidade cruzeirense aconteceu aos três minutos, quando Gilberto recebeu belo passe de Wellington Paulista e quase marcou, chutando à direita da meta de Victor.

Aos 15, Wellington Paulista chutou para a rede, mas o árbitro Marcelo de Lima Henrique assinalou impedimento e, acertadamente, anulou o gol. Quando o cronômetro marcava por volta de 20 minutos, a torcida celeste encontrou um bom motivo para comemorar: o gol sofrido pelo rival Atlético-MG diante do Coritiba, na capital paranaense.

Em campo, porém, o Grêmio começou a gostar do jogo. Gradativamente, ia se acertando em campo, com boa postura defensiva, Tcheco e Adilson ligando as jogadas, Douglas Costa se movimentando bem, e Maxi López fazendo a função de pivô no ataque.

Treinado pelo interino Marcelo Rospide, o Grêmio assumiu o domínio na reta final do primeiro tempo e ofereceu perigo em alguns momentos. Nesse período de superioridade gaúcha, brilhou a estrela do goleiro Fábio, que fez boas defesas.

Torcida pede entrada de Guerrón

Impaciente, a torcida cruzeirense pediu a entrada do equatoriano Guerrón logo no começo do segundo tempo. Aos oito minutos, depois de tomar conhecimento do gol de empate do Atlético-MG, cobrou raça do time. E pediu Guerrón, de novo.

Saudado com gritos de ?Fica, Adilson? antes do jogo, o técnico Adilson Batista - que estaria na mira do próprio Grêmio para a vaga de Paulo Autuori - resolveu atender à sugestão da torcida e foi além, sacando Jonathan e Thiago Ribeiro para a entrada de Guerrón e Soares.

Logo na primeira jogada após as substituições, o Cruzeiro contra-atacou com perfeição, justamente com os dois que haviam acabado de entrar: Guerrón recebeu na direita e cruzou rasteiro para Soares, derrubado na área pelo goleiro Victor. Pênalti marcado. Gilberto cobrou com categoria no canto direito e fez 1 a 0.

Com a vantagem no placar, o Cruzeiro passou a explorar os contragolpes, principalmente com Guerrón pela direita. E a festa da torcida - esta sempre ligada no radinho - aumentou quando o Coritiba fez 2 a 1 no Galo. Aos 41 minutos, Soares deixou o campo chorando e sentindo muitas dores no tornozelo direito.

O Grêmio perdeu a cabeça: Túlio e Fábio Santos receberam o cartão vermelho aos 39 e aos 43 minutos, respectivamente. Mas não perdeu a vontade de empatar. Já nos acréscimos, aos 46, Herrera marcou após duas tentativas. Na primeira, falhou em toque de letra após passe de Maxi López. Mas em seguida se jogou na bola e, de bico, chutou para rede.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com