Cruzeiro goleia o Colo-Colo por 4 a 1

Com a vitória, a equipe celeste assumiu a segunda colocação da chave, com três pontos

De um primeiro tempo complicado a uma goleada na etapa final. Pressionado para obter um bom resultado no Mineirão, o Cruzeiro aproveitou a superioridade númerica no segundo tempo e goleou o Colo-Colo por 4 a 1 na noite desta quarta-feira, em jogo da segunda rodada do Grupo 7 da Taça Libertadores.

Com a vitória, a equipe celeste assumiu a segunda colocação da chave, com três pontos, superando o time chileno no saldo de gols (1 contra - 2). O líder é o Vélez Sarsfield, com seis. O Deportivo Italia não pontuou em dois jogos.

O clube mineiro volta a campo pela Libertadores em 11 de março, quando enfrenta o lanterna Deportivo Italia em Caracas (Venezuela). O Colo-Colo encara o Veléz Sarsfield em Santiago, no dia 16.



Primeiro tempo equilibrado

Consciente da necessidade de conquistar três pontos e com o apoio da torcida, o Cruzeiro se lançou ao ataque, priorizando as jogadas pelas laterais. Coube a Roger, opção do treinador Adilson Batista para a vaga de Gilberto, expulso diante do Vélez, criar a primeira boa chance do time. Aos cinco minutos, o meia fez bela jogada pela direita e cruzou para a área. O goleiro Prieto rebateu mal, e a bola sobrou para Leonardo Silva, que completou de voleio, rente ao travessão.

O gol não demorou a sair. Veio pela esquerda, aos sete minutos. Henrique fez ótimo lançamento para Thiago Ribeiro. No dia em que completou 24 anos, o atacante chutou cruzado. A bola passou por baixo das pernas de Scotti e venceu o goleiro Prieto.

Em desvantagem, o Colo-Colo começou a explorar as avançadas dos laterais cruzeirenses. E criou duas boas jogadas pela esquerda, nas costas de Jonathan. Aos 13, Thiago Heleno se esticou e cortou um chute de Miralles. No minuto seguinte, o atacante recebeu cruzamento de Paredes na pequena área e concluiu para fora, perdendo excelente chance para empatar.

Após os sustos, a Raposa voltou a ameaçar o gol adversário. Aos 19, Thiago Ribeiro, o mais perigoso atacante do time mineiro no primeiro tempo, recebeu na área, se livrou do marcador e chutou. Prieto espalmou, evitando o segundo gol.

Mas o Colo-Colo seguiu perigoso, especialmente com as escapadas de Paredes pela esquerda, a principal arma ofensiva do time chileno. Aos 25, o atacante tentou encobrir Fábio, mas o goleiro defendeu.

O gol de empate saiu exatamente pelo setor canhoto. Aos 37, Jonathan foi derrubado por Miralles próximo da área celeste, mas o árbitro Oscar Ruiz não apontou a infração. O lateral seguiu na jogada e foi desarmado por Torres. A bola sobrou para Miralles, que cruzou para Paredes. Na pequena área, o atacante não desperdiçou e completou para a rede, sem chance para Fábio.

O gol não abalou o Cruzeiro, que reagiu imediamente. No minuto seguinte, Kléber chutou forte, e obrigou Prieto a fazer grande intervenção. Aos 41, Roger driblou dois adversários e caiu após aparentemente ser atingido por Scotti. O jogador e a torcida pediram pênalti, mas Oscar Ruiz nada marcou. Antes do fim da etapa inicial, o time celeste teve nova chance para desempatar. Diego Renan lançou Thiago Ribeiro. O atacante invadiu a área pela esquerda, mas chutou por cima, diante do goleiro adversário.

Expulsões do Colo-Colo. Gols do Cruzeiro

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou melhor postado na defesa. Marquinhos Paraná reforçou a marcação a Paredes. O colombiano Macnelly Torres, alvo de vários clubes brasileiros, como Palmeiras, Santos e Botafogo, pouco produziu.

Aos nove minutos, Adilson Batista tirou Roger, ainda sem condições físicas ideais, e colocou um terceiro atacante em campo - Wellington Paulista. Mas quem teve logo uma boa chance foi o Colo-Colo. Após cruzamento da direita, Paredes arrematou na pequena área, e Fábio defendeu.

Aos 12, o time brasileiro ganhou um "reforço" importante, com a expulsão de Olate. O defensor já tinha amarelo, cometeu falta e recebeu o vermelho. O lance foi capital para o desenrolar da partida. Para recompor o sistema defensivo, o treinador Hugo Tocalli imediatamente tirou Macnelly Torres e colocou o defensor brasileiro Paulo Magalhães em campo. Em seu primeiro lance, Magalhães agarrou Leonardo Silva após cruzamento sobre a área. Penalidade máxima apontada por Oscar Ruiz. Depois de muita reclamação dos atletas do Colo-Colo, Kléber cobrou aos 16. Não bateu bem, mas venceu o goleiro Prieto, que ainda tocou na bola com o pé direito. Cruzeiro 2 a 1.

A situação do time chileno ficou ainda mais delicada aos 22, quando Cereceda fez falta sobre Jonathan e reclamou de forma agressiva com o juiz. Resultado: recebeu o segundo amarelo, deixando a equipe visitante com nove homens. E a história se repetiu: cartão vermelho para o Colo-Colo, gol do Cruzeiro. Jonathan cobrou a falta sobre a área. Após bate-rebate, Pedro Ken, de virada, fez o terceiro.

As expulsões e os gols sofridos desestruturaram o time chileno. E o quarto gol veio aos 26. Millar empurrou Kléber na área. O atacante cobrou e marcou.

Com a folga no placar, o Cruzeiro reduziu o ritmo. E o Colo-Colo procurou se defender para evitar um desvantagem ainda maior. O time brasileiro ainda teve uma boa chance aos 42, quando Jonathan cruzou, e Wellington Paulista cabeceou rente à trave esquerda.

Mas o objetivo celeste já estava cumprido: não deixar passar a oportunidade de vencer em casa.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com